Impressões da primeira semana de “CUIDADO COM O ANJO”

Posted on 09/04/2013 à 15:09 PM por

40



cuidado-com-o-anjo

Um mais do mesmo com chances de ser uma boa pedida. Essa é a receita de Cuidado com o Anjo, a mais nova novela mexicana do SBT. O programa, que recicla sem constrangimento todos os clichês possíveis de seu gênero, consegue se fazer atrativo graças à qualidade da adaptação, a afinação do elenco e a carga dramática.

A heroína de Cuidado com o Anjo é a espevitada Malu (Maite Perroni). Órfã e humilde, ela esconde por trás da aparência angelical e sapeca um triste segredo: quando adolescente, foi vítima da violência sexual de um homem misterioso, de cujo rosto já não consegue se lembrar. Seu destino cruza-se por acaso com o do endinheirado João Miguel São Romão (William Levy), um compreensivo psiquiatra que dedica sua vida a ajudar jovens em situação de risco. João Miguel e Malu acabam se apaixonando. Ela nem desconfia, porém, que foi Miguel o homem que tentou abusar dela no passado.

Ao contrário do que a premissa pareça indicar, esta premissa não transforma esta produção de Natallie Lartilleux (Rafaela) em um completo dramalhão. O perfil irreverente e ingênuo de Malu, por exemplo, contribui bastante para suavizar a trama e atenuar esse perfil. Essas e outras características contrabalançam perfeitamente com a parte mais dramática da história, fazendo de Cuidado com o Anjo uma novela, embora água-com-açúcar, leve e agradável de se ver.

Os três primeiros episódios foram muito mornos, é verdade; a partir do quarto capítulo, porém, a novela ganha intensidade com o acidente de avião sofrido por João Miguel e sua esposa Viviana (Nailea Norvind), no qual esta é dada como morta. Amado por uns e criticado por outros, o consagrado roteirista Carlos Romero (A Usurpadora, Maria do Bairro) acertou totalmente a mão neste momento da história, conferindo-lhe a carga dramática exata e ganhando definitivamente o público a partir daí. Afinal, nada como uma situação potencialmente dramática logo na primeira semana – que o digam as brasileiras Páginas da Vida (2006) e A Vida da Gente (2011).

Agora, nem por isso a novela deixa de ter seus tropeços. O pano-de-fundo da delinquência juvenil, sob a ótica da psiquiatria e da responsabilidade social, não está convencendo. A maneira como Malu e seus amigos foram levados à delegacia após a confusão na boate, e em seguida “obrigados” pelo juiz Velarde (Ricardo Blume) a se submeterem à avaliação psicológica de João Miguel, foi tão forçada e mal escrita que francamente beirou o amadorismo. Romero é forte no melodrama, mas ainda precisa ter umas boas aulas com autores brasileiros antes de incluir merchandising social em suas novelas.

O elenco é outro acerto de Cuidado com o Anjo. Maite Perroni está convencendo na pele da heroína, e pode-se dizer que boa parte do carisma de Malu se deve à interpretação da ex-cantora do RBD. William Levy, que parecia tão apagado em suas primeiras cenas, veio a surpreender e interpretou com notável segurança as cenas mais dramáticas de João Miguel, quando este acredita haver perdido a esposa. Ricardo Blume, Helena Rojo (Cecília) e Rocío Banquells (Isabela) estão naturais sem exagerar, enquanto Laura Zapata (Maria Mercedes) brilhou nas cenas em que sua Ofélia, desfere toda a ira contra o genro, João Miguel, a quem culpa pela suposta morte de Viviana. A única que talvez esteja um pouco desafinada é a em geral ótima Sherlyn (Camaleões), que desta vez vive a doce Rosa, irmã caçula do galã.

Apesar do início tão morno, Cuidado com o Anjo parece estar encontrando o caminho certo para se tornar uma novela que, se não será inesquecível, ao menos bastante entretida e divertida. A semelhança com as novelas de Thalía, citada na crítica do primeiro capítulo, tem tudo para agradar os fãs do SBT. Vale conferir.

(Felipe Brandão)

About these ads