Perdido em Marte. Leia antes de embarcar!

[whatsapp]

perdido-em-marte-440x620
Uma missão a marte. Um terrível acidente. A luta de um homem pela sobrevivência.

A primeira vez que eu tive contato com o planeta Marte foi através de um livro escrito em 1917. “A Princess of Mars” é um livro que faz parte da Barsoom Series, uma série literária de ficção científica e fantasia do gênero espada e planeta do autor americano Edgar Rice Burroughs, também criador do famoso personagem Tarzan. Barsoom era a representação fictícia e romântica de um planeta Marte moribundo porém habitado por estranhas criaturas e reinos fantásticos.

O escritor se inspirou nas descobertas daquela época sobre o planeta Marte, especificamente das imagens dos “canais de Marte” e criou um mundo deserto e foi um dos vários escritores da época que lançaram ao solo fértil da imaginação diversas idéias e concepções sobre como seria esse planeta vizinho ao planeta Terra.

A princess of Mars de Edgar Rice Burroughs, 1917
A princess of Mars de Edgar Rice Burroughs, 1917

Marte foi batizado em homenagem ao deus romano da guerra e muitas vezes é descrito como o “Planeta Vermelho” e diferente dos escritores de ficção e fantasia ele é um planeta rochoso com uma atmosfera fina, composta de 95% de dióxido de carbono, 3% nitrogênio, 1.6% argônio, e ainda traços de oxigênio, água, e metano. Com uma superfície salpicada por crateras entremeadas por antigos vulcões, vales e desertos. Entre eles a montanha mais alta de nosso Sistema Solar, intitulada Monte Olimpo (27 km acima do nível médio da superfície de Marte. Três vezes mais alto que o Monte Everest) e um desfiladeiro gigantesco conhecido como Valles Marineris. Além disso, o planeta tem  duas luas pequenas e irregulares intituladas  Fobos e Deimos.

A história criada por Burroughs sobre alienígenas em Marte tinha como base a imensa especulação sobre a presença de água em estado líquido na superfície do planeta.  No entanto, o primeiro voo bem-sucedido sobre Marte feito em 1965 pela Mariner 4 revelou que os canais de irrigação eram na verdade apenas ilusões de ótica.

Hoje, as descobertas das missões não tripuladas sugerem que Marte já teve uma grande quantidade de água em sua superfície e dados de radar revelam a presença de grandes quantidades de gelo de água nos polos e em latitudes médias. E por causa dessa e de outras evidências,  bem como da possibilidade de Marte se tornar um futuro lar para a humanidade é que hoje temos diversas outras missões analisando o planeta.

Planeta Marte
Planeta Marte

Podemos citar entre elas:
– A sonda robótica Spirit coletou amostras de compostos químicos que continham moléculas de água em março de 2007.
– A sonda Phoenix encontrou amostras de gelo de água no solo marciano raso em 31 de julho de 2008.
– O planeta já foi explorado por diversas espaçonaves como a Mars Odyssey, Mars Express e Mars Reconnaissance Orbiter e
– Já colocamos duas missões na superfície. A Mars Exploration Rover Opportunity e a Mars Science Laboratory Curiosity.

As observações feitas pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter revelaram a possibilidade de que exista água corrente no planeta durante os meses mais quentes. E em 2013, o rover Curiosity da NASA descobriu que o solo de Marte contém entre 1,5% e 3% de água em sua massa.

21c14c381ead1fe320679f3c8659c768
Colonizando Marte – Mars One

Apesar disso, o projeto de mandar Astronautas para Marte ainda é constantemente adiado pelas agências espaciais, pois o foco da Nasa, por exemplo, é continuar pesquisando uma maneira de levar e trazer de volta os astronautas. No entanto, um dos projetos mais recentes e também um dos mais polêmicos é a missão Mars One que planeja instalar uma colônia humana no planeta Marte a partir de 2025. Pois para eles, uma missão tripulada a Marte é viável hoje usando tecnologias existentes se a viagem for só de ida.

Polêmicas a parte, o Planeta Marte tornou-se novamente o centro das atenções por causa das diversas descobertas e novas tecnologias que estamos criando com foco na exploração espacial. E é por causa de todo esse cenário atual, que novos livros e filmes estão sendo criados com o intuito de explorar e alimentar nossa imaginação sobre o “Planeta Vermelho”.

O escritor Andy Weir
O escritor Andy Weir

Um dos livros mais recentes que li sobre o assunto e que gostaria de compartilhar com vocês se chama “Perdido em Marte” que foi escrito por Andy Weir, um nerd, engenheiro de Software e escritor de contos de ficção científica que cresceu lendo histórias criadas por Arthur C. Clarke e Isaac Asimov.

Esse livro foi originalmente em 2011 uma auto-publicação do autor, e em 2014 foi relançado pela Crown Publishing e traduzido para o Brasil no mesmo ano pela Editora Arqueiro. Segundo o Astronauta Chris Hadfield , o livro é uma rara combinação de uma ótima trama original, personagens incrivelmente reais e uma precisão técnica fascinante. Eu devo destacar com grande ênfase essa parte, porque a precisão técnica realmente se insere perfeitamente na história explicando sem exageros todo os detalhes e experiências do astronauta Mark Watney, um botânico e engenheiro mecânico é abandonado em Marte quando a tripulação da missão Ares 3 é forçado a evacuar seu local de pouso em Acidalia Planitia devido a uma tempestade de areia com ventos fortes.

Vivendo ou sobrevivendo em Marte?
Vivendo ou sobrevivendo em Marte?

Sem nenhuma forma de contato com a Terra, Watney deve confiar em suas habilidades científicas e técnicas para sobreviver utilizando apenas os equipamentos que ficaram para trás. E seu desafio é enorme, pois a missão Ares 4 só retornar em quatro anos e irá pousar na cratera Schiaparelli localizado a 3.200 km de onde ele está.

Agora imagine! Viver quatro anos sozinho não é uma coisa fácil nem mesmo na Terra com todos os confortos que temos. Agora imagine em Marte! Se algum dos equipamentos falhar, o astronauta morre sufocado, se ele não conseguir produzir alimento ou água então, sua sobrevivência não passará de semanas.

É assim, diante desse desafio aparentemente intransponível que eu me vi dando risadas do bom humor contido em todo o livro. É inegável a influência de desenhos, jogos e outras coisas nerds e isso faz a leitura do livro “Perdido em Marte” ainda mais agradável.

“Porque o Aquaman consegue controlar Baleias? Elas são mamíferos! Não faz sentido.”  

“E fala sério… É claro que General Lee, o Dodge Charger laranja. pode deixar um carro de polícia para trás. Porque o xerife Rosco simplesmente não vai a Fazenda Duke e os prende quando eles não estão no carro?”

Produzir comida, retomar a comunicação com a terra, manter a estabilidade mental e se preparar para o retorno da missão Ares são algumas das coisas que o astronauta Watney tem de se preocupar. E durante todo o processo eu fiquei pensando em como seria morar em planeta deserto, com tempestades de areia constantes e com a morte eminente rondando por todo o lugar.

Um bom livro de ficção científica que mostra bem o que o ser humano é capaz de fazer para sobreviver, nem que isso signifique plantar batatas usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva.
O livro até o momento foi muito bem recebido pela crítica e já está sendo adaptado para o cinema na forma de um filme dirigido por Ridley Scott e estrelado por Matt Damon, agendado para lançamento em novembro de 2015.

Assista abaixo uma breve passagem do livro em um trailer não oficial do filme e não deixe de ler mais um bom livro de ficção científica!

 

 

Desejo a todos mais um ótimo dia aqui no Planeta Terra.
Se gostou dessa matéria, comente. Senão, vá plantar batatas em Marte! 😉

Clique abaixo para saber mais sobre Ficção Científica, Fantasia e Poesia.
Acesse

 

 

< Artigo escrito por J.B.Alves >

Top
%d blogueiros gostam disto: