Resumo Semanal: “Rei Davi” – 23/11/2015 a 28/11/2015

REI DAVI

Segunda-feira, 23 de novembro – Capítulo 6

prossegue a cerimônia de casamento. Saul é cínico e finge para os noivos que está muito feliz. Jonatas observa o pai com preocupação. Aitofel externa com sua família a insatisfação com o rei. Laís fica receosa. Todos admitem que Davi vence todas as guerras que lidera e que Israel precisa de um novo rei. Aimeleque celebra o casamento. Merabe e Adriel ficam satisfeitos por tudo ter dado certo. Selima observa grávidas na festa com pena, preocupada com a sua gravidez. Jonatas consegue animá-la um pouco. Davi apresenta Mical para seus pais. Para alegria de Abner, Saul quer descansar e pede que ele acompanhe Rispa na festa. Mas Rispa ainda prefere manter distância. O general fica nitidamente magoado e Ainoã observa tudo de longe.

Allat vai procurar Doegue no acampamento e percebe manchas brancas em sua pele. Saul devaneia em lembranças de como Davi surgiu em sua vida. Ele se corrói em inveja e preocupação. Jonatas vê quando o pai faz um sinal para Abner e fica preocupado. Abiatar, bêbado, tenta agarrar Tirsa e Ziba se enfurece, empurrando-o. O levita cai no chão, trôpego e gargalhando. Aimeleque se enfurece e tira o filho dali. Jonatas conta a Davi que Saul quer matá-lo. Davi acha que há algum engano e diz que nunca vai abandonar o rei. Jonatas conta que Saul desconfia que ele é o novo ungido. Davi gela, sem jeito, tenta disfarçar e vai para tenda ficar com Mical.

Allat crava as unhas no braço de Doegue, que sangra. Ele não sente nada. O soldado fica desesperado quando a feiticeira diz que ele está com lepra. Abner vê o sangue e Doegue inventa que foi atacado por um animal selvagem qualquer. Saul manda Eliabe comparecer em sua tenda após a festa. Davi e Mical iniciam sua noite de núpcias. Davi percebe uma estátua dentre os tecidos e pede explicações. Mical diz ser de Merabe e ele acredita. Ele pede que Mical aconselhe sua irmã a não fazer mais isso. Saul pressiona Eliabe para confessar que Davi é o novo escolhido de Deus. Joabe vê Eliabe saindo tenso da tenda de Saul. Pergunta se contou o segredo de Davi e ele nega.

Mical se vira no leito e desperta. Ela vê Doegue e Abner a um passo de tirar o manto de Davi. Ela vai gritar, mas Doegue coloca um pano em sua boca. Quando tiram o pano, Abner diz que Saul quer falar com Davi. Mical manda dizer ao rei que Davi está doente. Ainoã pede que Jonatas arrume outra mulher para ter um herdeiro e ele a deixa falando sozinha. Selima pede que Tirsa durma com Jonatas e dê um filho a ele. Abner puxa o manto do leito de Davi e aparece uma estátua da deusa Ishtar com pêlos de cabra. Davi foge a cavalo. Mical diz para Saul que Davi a ameaçou caso ela atrapalhasse sua fuga. Saul manda Abner trazer Davi de volta. Esbaal fica chateado porque quer ir mas seu pai o manda ficar. Abner convoca seus homens e diz que Davi é um traidor.

Joabe é o único que o defende. Joabe deixa o exército e pergunta se Eliabe o acompanha. Ele diz que vai ficar e ser fiel a Saul. Tirsa reluta em aceitar a proposta de dormir com Jonatas, mas Selima é enfática. Jonatas entra em meio à discussão e quando descobre do que se trata também fica revoltado. Joabe os interrompe e conta que Davi fugiu e Saul mandou seus homens atrás dele. Davi já está bem distante. Ele para e pede ajuda de Deus.

Abner e os outros avistam Davi e se aproximam com cautela. Os soldados se preparam para atacar, mas Davi os percebe e corre. Ele é muito rápido e consegue ganhar distância. Davi se esconde no topo de uma árvore e todos passam sem vê-lo. Ao descer, Eliabe, seu irmão o pega pelo pescoço e pressiona contra a árvore.

Terça-feira, 24 de novembro – Capítulo 7

Davi quer saber por que Eliabe o odeia tanto. Com a espada no pescoço do irmão, ele chama por Abner e os outros. Mical conta a Merabe como ficou sabendo que Abner e Doegue iriam matar Davi e como ela o ajudou a fugir. Ainoã, furiosa, questiona Mical o que o ídolo pagão fazia em sua tenda. Samuel tem um mal pressentimento e pede a Deus que proteja Davi contra o mal. Davi diz para Eliabe o matar de vez para que ele caia nas graças de Saul, como sempre quis. Eliabe se arrepende e o deixa escapar.

Abner e os outros chegam e ele diz que Davi fugiu. Ainoã repreende Mical sobre o ídolo pagão e assume que Saul perdeu a razão ao mandar matar um herói como Davi. Jonatas confronta seu pai, que é cínico e diz estar arrependido. Pede que seu filho procure Davi e o convença a voltar para ficar ao lado do rei, como sempre. Jonatas fica confuso com a atitude do pai. Selima pede a Deus por um filho. Abner e seus homens desistem da busca por Davi. Chegam a conclusão que ele conhece muito bem a região e deve estar longe. Davi chega à Giloh e caminha com cautela, olhando para trás. Virando uma rua, Davi tromba com Bate-Seba, mas a segura antes que caia.

Ela o renhece, mas ele não. Davi a admira enquanto a segura sem perceber. Ela se solta e sai correndo. Davi fica parado, encantado, observando Bate-Seba se afastar. Doegue se banha em um rio quando Tirsa e outras servas chegam para lavar roupas e vêem as manchas em seu corpo. Elas se assustam saem correndo gritando que ele tem lepra. Abner quer caçar Davi na luz do dia. Saul diz que Jonatas vai convencer Davi a voltar. Ziba entra apavorado na tenda de Saul. Davi pede água para uma mulher, para sua surpresa, é Bate-Seba. Ele fica encantado e ela nervosa, mas lhe serve a água. Aitofel e Eliã chegam desconfiados de Bate-Seba, que conversa, até então, com um homem desconhecido. Logo eles reconhecem que se trata de Davi e ficam radiantes.

Eles oferecem estadia, mas Davi diz que não pode aceitar e vai embora. Logo depois, Jonatas e Davi se encontram. Joabe conta a Edna e Jessé que Eliabe contou o segredo de Davi a Saul e ainda está o caçando com Abner e seus homens. Jessé não acredita, já que Joabe não tem certeza absoluta. Joabe diz que eles tem que fugir o quanto antes. Doegue chega ao acampamento e todos saem correndo. Saul diz para ele ficar na escola de profetas para se curar e que só pode sair de lá curado. O rei ainda diz que para voltar ao exército, tem que trazer Davi com ele.

Jonatas insiste que Davi volte ao acampamento. Ele diz querer uma prova de que o rei não quer matá-lo. Propõe que Jonatas diga que antes de voltar, Davi foi encontrar sua família em Belém. O filho de Saul aceita o acordo. Ainoã pede que Ziba fique atrás de Rispa, que é irmã dele. Ela o suborna e diz que é para zelar pelo bem de Rispa e Saul. Merabe abre os olhos de Mical que Jonatas está sendo manipulado por Saul. Jonatas volta e conta que esteve com Davi e seu pai fica furioso por eles não terem voltado juntos. Em um acesso de fúria, Saul esbraveja que Davi tem que morrer. Sem explicações do porquê de Davi ter de morrer, Jonatas diz que não vai mais ajudá-lo e deixa a tenda. Aimeleque diz que Doegue deve ficar sete dias na masmorra para ver se a doença vai regredir, ou não.

O soldado fica aterrorizado. Selima fica revoltada por Saul ter atacado Jonatas e decide ir atrás dele. Assim que se levanta fica tonta e Tirsa a acode. Bate-Seba conta de seu encontro para sua mãe, que estranha a animação da filha. Jonatas volta para Giloh e diz a Davi que ele estava certo quanto às intenções de Saul. Apesar de tudo, eles afirmam que a aliança e amizade não está abalada. Davi tenta contar seu segredo, mas Jonatas diz que já sabe que ele é o escolhido de Deus. Joabe está com os pais de Davi quando soldados liderados por Adriel e Paltiel invadem sua casa à procura dele. Depois de interrogar e torturá-los, os soldados ateiam fogo na casa e os trancam. Jessé e Joabe procuram uma saída.

Quarta-feira, 25 de novembro – Capítulo 8

A casa está em chamas e Edna desmaia. Jessé a socorre, já sem forças. Joabe tenta novamente a porta, a janela e quase é atingido por uma viga em chamas. Jonatas, arrasado, começa a guardar suas coisas em sacolas para deixar o acampamento. Selima conta que está grávida. Rispa admite para Abner que o ama e eles se beijam apaixonados.

Ainoã os pega no flagra e sai, triunfante. Davi relembra apaixonado do seu último encontro com Bate-Seba. O fogo se alastra pela casa e Jessé está quase desmaiando quando Abinadabe, Samá e outros irmãos de Davi entram na casa para salvar a família. Davi encontra Samuel ensinado jovens profetas. O profeta aconselha Davi a seguir o caminho de Deus e não se corromper como fez Saul. Samuel tosse compulsivamente e Davi percebe que é sério. O profeta diz que sua hora está chegando e que Deus irá colocar outro mensageiro de Sua palavra para guiá-lo. Ainoã tem Rispa em suas mãos e volta a humilhá-la. Saul, Eliabe, Esbaal, Abner e outros soldados procuram por Davi no mesmo campo aberto em que ele conversava com Samuel. O profeta descansa quando pressente algo e pede que Davi fuja.

Confuso, ele olha em volta e vê Saul, se aproximando, maligno, segurando sua espada. Davi obedece Samuel e foge. O profeta pede que Deus acalme o coração de Saul e proteja Davi. O rei se aproxima de Samuel e seu semblante muda, como se estivesse em paz. Larga sua espada, olha para o céu e faz uma prece. O profeta sai e Saul se deita no campo, adormece em paz. Seus soldados mal acreditam no que vêem o carregam de volta ao acampamento. Saul profetiza que ele não é mais o rei, ainda em um estado de paz. Merabe diz a Adriel que seu pai não tem mais condições de reinar o povo de Israel. Ele acaba lhe dando um tapa no rosto. Eliabe escuta uma conversa entre Paltiel e Abner sobre o que fizeram com os seus pais. Ele fica furioso, mas Abner o intimida e faz engolir sua raiva.

Jonatas vai contar a Saul que Selima está grávida e vê o estado em que ele está. Ainoã faz carinho no marido imaginando uma falsa reciprocidade, vez que Saul está praticamente inconsciente. Ela diz para o filho não alimentar esperanças. Jonatas se irrita e diz à mãe que, apesar de ser fértil, sua alma é vazia. Joabe e a família de Davi caminham pelo deserto e avistam viajantes mal encarados. Eles se preparam para o pior. Davi mente estar a mando de Saul para pedir suprimentos e armamentos a Aimeleque. O Sacerdote diz que sabe do seu segredo e que ele não precisa mentir.

Aimeleque lhe entrega a espada de Golias. Abiatar conduz Doegue com um cajado e o soldado estranha a presença de Davi no templo. O filho do sacerdote não deixa Doegue se aproximar. Davi fica tenso. Abiatar tenta conter o guerreiro, mas ele consegue fugir para tentar avisar Saul do paradeiro de Davi. Abiatar grita pode ajuda. Saul tem uma alucinação em que Davi toca sua harpa. Davi se afasta da escola de profetas mas ainda fica tenso por Doegue tê-lo visto.

Aimeleque fica preocupado com a fuga de Doegue. Joabe conversa com os viajantes. Eles dizem estar a procura do verdadeiro ungido de Deus, Davi. O líder do grupo conta que centenas de homens fazem o mesmo e convida Joabe e a família de Davi para acompanhá-los. Saul volta ao seu estado de fúria e manda Abner reunir seus melhores soldados para caçar Davi. Eliabe cobra a promessa de não machucar sua família e torná-lo chefe de tropa. Saul fica irritado com a cobrança e o mata, como se ele não fosse nada. Ainoã se assusta ao entrar na tenda de Saul e ele age normalmente. Diz para chamar Mical pois ela vai se casar com Paltiel. Mical diz que não ira se casar e grita com Saul. Ele lhe dá dois tapas no rosto. Ainoã promete que a fará casar-se com Paltiel. Abner chega e Saul parte com os soldados imediatamente. Um príncipe traz um prisioneiro encapuzado para Aquis e a espada de Golias. Um soldado tira o capuz e todos reconhecem Davi, que fica acuado. Saul discursa para os soldados. Doegue chega e mente sobre estar purificado. Ele conta que os sacerdotes o ajudaram. Saul fica furioso e se dirige à escola levita. Davi abre os braços e começa um discurso profético louco e diz que é Golias. Todos ficam espantados e dizem que Davi está louco.

Quinta-feira, 26 de novembro – Capítulo 9

Davi continua a se fingir de louco e Aquis ordena que o tirem dali. O rei filisteu diz que não vê glória em prender um louco. Abiatar avisa seu pai que Saul e seus soldados estão a caminho. Aimeleque pede que Abiatar procure Davi caso algo aconteça com ele. Ziba é flagrado por Tirsa roubando despojos de guerra. Joabe recebe notícias do paradeiro de Davi e vai procurá-lo. Saul manda chamar todos os sacerdotes e interroga Aimeleque. Abiatar se sente traído por Doegue. Aquis descobre que Davi estava fingindo estar louco e fica furioso com a humilhação de ser enganado. Joabe e os outros que lhe acompanham na fuga de Saul encontram Davi na caverna onde se escondia.

Saul ordena que matem os sacerdotes por traição, porém, Abner, Paltiel e Adriel hesitam em matar os servos do Senhor. O rei então pede que Doegue cumpra a ordem. Pela primeira vez, Jessé reconhece o valor de Davi e eles se abraçam emocionados, como nunca antes fizeram. Os homens que acompanharam Joabe juram fidelidade ao novo líder de Israel, Davi. Eles seguem para Judá e Davi diz que o rei de Moabe pode ajudar seus pais, que já estão em uma idade avançada para peregrinar grandes distâncias. Doegue desembainha a espada começa a matar os sacerdotes. Abiatar é golpeado na perna, mas consegue fugir sem ser visto.

Samuel está descansando e sente uma dor no peito, como se sentisse o sofrimento dos sacerdotes. Paltiel tenta consumar seu casamento com Mical. Ela resiste e diz que mesmo casada, nunca será dele. Merabe grita com Adriel, dizendo que ele devia ter impedido seu pai. Ele lhe dá um tapa no rosto. Abiatar está quase sem forças e começa ter visões no deserto. Acaba caindo aos pés de Joabe e pede para que seja levado a Davi. Abner insiste que Saul receba alguns campesinos, mas ele só quer saber da caça a Davi. Doegue caminha até a caverna de Allat. Ele tem o corpo todo coberto e cai próximo à entrada da caverna. Allat o reconhece pelos olhos, mas quando tira o pano de seu rosto, fica horrorizada.

Davi fica arrasado quando Abiatar conta o que aconteceu. Ele pede que Joabe proteja o sacerdote, pois agora ele também será perseguido por Saul. Davi e seus homens marcham por vales e montanhas. A barriga de Selima cresce. O tempo passa e o exército de Davi se multiplica. Urias e Eliã cogitam entrar no exército de Davi e Bate-Seba os apoia. Laís fica receosa e Aitofel diz que ainda não é a hora.

Saul fica sabendo que Davi tem um batalhão de seguidores e parte imediatamente ao seu encontro. Jonatas lamenta as atitudes do pai. Ziba comenta que o acampamento está desprotegido. Rispa está farta de ser humilhada por Ainoã e diz que não se importa mais com o que ela vai contar ao rei. Ainoã jura se vingar. Abner propõe que os homens descansem em uma caverna e Saul concorda.

Joabe conta a Davi que espiões o informaram do paradeiro de Saul e seu exército. Joabe quer atacar, mas Davi diz que somente eles dois irão, sem alarde. Selima está com a barriga enorme, mas está pálida, esgotada. Jonatas se aconchega ao seu lado, carinhoso. Davi entra na caverna. Todos dormem e ele consegue chegar ao lado de Saul. Pega a espada do rei, que está no chão, e a levanta ameaçadoramente.

Sexta-feira, 27 de novembro – Capítulo 10

Joabe tenta convencer Davi a matar Saul. O hebreu se nega, embainha a espada do rei e sai da caverna levando-a consigo. Fora da caverna, Davi grita por Abner e o questiona como alguém rouba a espada do rei e ninguém vê. Ele diz que não é inimigo do rei, e que se o quisesse já poderia tê-lo matado.

Abner e Paltiel se revoltam com a ousadia. Davi então crava a espada do rei no chão para que todos vejam. Saul fica impressionado com o gesto de benevolência e chora arrependido. Allat cuida de Doegue, sem medo ou nojo. Os soldados percebem o arrependimento de Saul e abaixam suas armas. Abner não se conforma. Saul diz que a missão de seu exército acabou.

Eles voltam para casa. Depois que Saul já se afastou, Paltiel volta e conta a Davi que Eliabe foi morto por Saul e que Mical é agora sua esposa. Davi fica incomodado, mas se contém. Pede que Paltiel vá em paz. Joabe se contém para não partir para cima do soldado. Davi pede calma. Abiatar avisa a Davi que Samuel está muito mal. Mical se nega a deitar-se com Paltiel. Com ciúmes, ele conta que Davi não se importou em saber que eles tinham se casado.

Mical descobre que agora Davi tem várias esposas. Ela fica chateada, mas se mantém altiva. Rispa não aguenta mais se encontrar escondida e quer fugir com Abner. Ele teme a represália do rei. A concubina então pede que ele não a procure mais. Samuel dá seus últimos conselhos a Davi e morre em paz. Saul libera seus homens para prestar suas homenagens no sepultamento de Samuel. Ainoã quer que o rei também vá, mas ele se nega. Ela tenta iniciar uma conversa sobre suas concubinas, mas Saul está muito magoado, diz-se abandonado por Deus.

Ele não lhe dá ouvidos e ordena que saia. Saul tem raiva de Jonatas por tê-lo abandonado para virar carpinteiro e ignorar a possibilidade de assumir o trono de Israel, mas admite que ele seria o único capaz de ocupar o trono. Saul acha que Esbaal nunca será capaz de ser um bom rei por não ter o pulso firme. Selima entra em trabalho de parto. Davi assiste o sepultamento de Samuel mais afastado e sai logo que percebe a presença de Abner e outros soldados de Saul. Mical desabafa para Merabe seu descontentamento com Davi. Ela percebe os machucados de Merabe e fica indignada. Ziba entra à procura de Jonatas. Jonatas diz para Ainoã que ela e seu pai têm que aceitar que Davi é o escolhido. Mical chama Jonatas. Selima luta para dar a luz e sente muita dor. Davi diz a Joabe que vai fazer uma oferta a Aquis em troca de abrigo. Jonatas está muito feliz com a chegada de seu filho.

Abner provoca Saul dizendo que o povo só falava sobre como Samuel morreu nos braços de Davi. Saul sente inveja. Um soldado anuncia a Aquis que Davi está no portão de Ziclague e quer uma audiência com ele. O rei dos filisteus decide deixá-lo entrar, mas para matá-lo por todas as humilhações que o fez passar. Selima começa a sangrar mais do que o normal e Tirsa, que faz o parto junto de Ainoã e Rispa, fica preocupada. Selima está zonza, mas não desiste. Urias diz que mais homens de sua tribo se uniram a Davi. Ele, Eliã e Aitofel decidem que também vão lutar ao lado de Davi. O bebê nasce, é um menino. Selima lhe dá o nome de Mefibosete. O sangramento não para. Jonatas entra na tenda e Selima pede que seu amado cuide bem de seu filho e morre. Aquis não deixa Davi justificar sua presença no local e manda prendê-lo. Os homens de Davi apontam suas armas e formam um circulo protegendo-o.

 

Top
%d blogueiros gostam disto: