Novela “Senhora do Destino”: resumo de quarta-feira (11/10)

Resumo do capítulo 153, quarta-feira, 11 de outubro

Maria do Carmo fica pasma ao saber que o neto pode ter sido seqüestrado. Bruno escapa do cativeiro, porque Cigano deixou a porta aberta de propósito. Shao Lin é levado preso, mas Giovanni garante que vai protegê-lo. O delegado pergunta a Shao Lin onde Bruno está. Cigano vai pegar o dinheiro combinado com Viviane e eles acabam discutindo. Cigano seduz Viviane, que gosta, mas disfarça. Reginaldo chega e vê a cena. Cigano acaba sendo assassinado por Reginaldo. Eleonora pega o buquê de Maria Eduarda. Reginaldo sugere que Viviane fique com a culpa pelo assassinato de Cigano.

O resumo é atualizado de segunda a sexta às 16h.

A história de Senhora do Destino

A trama de Senhora do Destino é dividida em duas fases. A primeira – exibida em quatro capítulos – se passa em dezembro de 1968, contando a história de três mulheres: Josefa de Medeiros Duarte Pinto (Marília Gabriela), jornalista do Diário de Notícias, uma mulher deslumbrante e valente que acaba se tornando uma inimiga mortal contra a ditadura; Maria do Carmo Ferreira da Silva (Carolina Dieckmann), uma nordestina humilde que vem para a cidade do Rio de Janeiro em busca de uma vida melhor para si e aos filhos; e Maria de Nazaré Esteves Tedesco (Adriana Esteves), uma prostituta que quer mudar de vida a qualquer custo e jogará sujo para isso.

Primeira fase
Maria do Carmo, uma nordestina sofredora, abandonada pelo marido Josivaldo, parte com seus cinco filhos de Belém de São Francisco, no sertão de Pernambuco, rumo ao Rio de Janeiro. Ela se encontra desesperada, por não ver ali um futuro melhor a dar aos filhos, pois vive em extrema pobreza. Portanto, ela escreve ao irmão, Sebastião, pedindo que ele os receba em sua casa. Sebastião trabalha como motorista para Josefa de Medeiros Duarte Pinto, por quem é secretamente apaixonado. Ela é filha de uma família tradicional e dona do jornal carioca Diário de Notícias, herdado após a morte do segundo marido. Após uma série de contratempos na viagem,, Maria do Carmo e os filhos chegam à cidade do Rio de Janeiro em 13 de dezembro de 1968, justamente o dia da decretação do Ato Institucional Número Cinco (AI-5). Há um grande tumulto nas ruas do Centro da cidade, tomadas por manifestantes e policiais em guerra.

O Diário de Notícias, opositor do regime militar, é invadido pela polícia, e Sebastião não consegue buscar Maria do Carmo na rodoviária. Como perdeu o papel na estrada onde havia anotado o endereço do irmão, ela segue com os filhos à procura do jornal, onde espera encontrar Sebastião. Maria do Carmo consegue se refugiar com as crianças em uma casa abandonada. Nazaré, uma prostituta do bordel de Madame Berthe, também se abriga no local. Ela deseja se casar com o amante José Carlos e mudar de vida. Assim, ela finge ser enfermeira e estar grávida, pois acredita que a gravidez é a única maneira de separá-lo da esposa e da filha. Como ficou estéril após 5 abortos sucessivos, inventou que estava grávida para forçar José Carlos a assumir a criança. No local abandonado, Nazaré diz a Maria do Carmo que seu nome é Lourdes e promete tomar conta das crianças enquanto Maria do Carmo leva Reginaldo, que em meio à confusão havia sido ferido, ao hospital. Ao ficar sozinha com a caçula de dois meses Lindalva em seus braços, Nazaré vislumbra a chance de concretizar seu plano e sequestra a menina. Ela arma uma farsa e finge que deu à luz a criança, sensibilizando o amante, que larga a esposa e a filha para ficar com ela. A luta de Maria do Carmo para reencontrar a filha roubada é o fio condutor da trama.

Desolada com o sequestro de Lindalva, Maria do Carmo se perde nas ruas do Rio, é confundida com os manifestantes e levada presa, juntamente com outros dois homens em particular: um deles é Dirceu de Castro, repórter do Diário de Notícias, que se recusa a abandonar a redação do jornal; o outro é Giovanni Improtta, conhecido empresário do jogo do bicho repleto de falcatruas e atividades escusas em sua vida. Josefa também é presa, tem o jornal fechado e é aconselhada a deixar o país, o que a leva para um luxuoso exílio em Paris. Maria do Carmo, Dirceu e Giovanni ficam em celas vizinhas em um presídio, e o jornalista toma conhecimento da história da nordestina. Dirceu chama a atenção do comandante da prisão, o perverso Comandante Saraiva, para o equívoco, e a jovem é solta. Ela encontra Sebastião por acaso, e os dois conseguem impedir que os filhos de Maria do Carmo, que haviam sido levados para o Juizado de Menores, sejam enviadas para um orfanato. Maria do Carmo decide se instalar no mesmo lugar onde o irmão vive, em Vila São Miguel, fictício distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e jura que dedicará sua vida a localizar a filha Lindalva.

Segunda fase
Os anos se passam, e Maria do Carmo é uma mulher forte e bem-sucedida, mãe dedicada, dona da loja de material de construções Do Carmo, querida e respeitada em Vila São Miguel por sua ética e generosidade. Ainda sofre muito pois nunca mais teve notícias de Lindalva, e ninguém achou o paradeiro da sequestradora que pensa se chamar Lourdes. Ela mantém um antigo relacionamento amoroso com Dirceu, agora editor e colunista político de um grande jornal carioca. Os dois moram em casas separadas e vivem uma relação tranquila. Mas a nordestina tem um outro admirador: o agora ex-bicheiro Giovanni Improtta, que liquidou honestamente todas suas contas passadas e ganha a vida como presidente da escola de samba Unidos de Vila São Miguel e disputa com Dirceu o amor de Maria do Carmo. Uma de suas características é a inseparável gravata borboleta, além do esforço para falar corretamente, que o leva a cometer vários erros de português. Seu modo de falar caiu nas graças do público, que reproduzia nas ruas expressões como “felomenal” (ao invés de “fenomenal”). Entre as frases popularizadas pelo personagem estão: “Há malas que vêm de trem!”; “Vou me pirulitar-me”; “Não esqueça do meu lema: com Giovanni Improtta não tem problema”; “Então fica o dito pelo não dito, o não dito pelo dito e, como sempre, vale o escrito”; “Aqui se faz, aqui se paga”; “Na vida, como no restaurante, a conta sempre chega”; “Saída istrastégica”; “A vaca vai voar!”, “O tempo ruge, e a Sapucaí é grande!”, “Giovanni Improtta, em charme e osso”. Giovanni é pai de João Manoel e Jenifer. Viúvo, mora com os filhos e a sogra, Flaviana. Tem como namorada a aspirante a celebridade Danielle, a quem chama de “Ninfa Bebê” (e é chamado por esta de “Paizinho”). Mas o ex-bicheiro, que vive repetindo não dever nada à polícia nem ao fisco, é apaixonado mesmo por Do Carmo, tendo de disputar o seu amor com o rival Dirceu, a quem se refere como “troca-letras”.

Sebastião, o irmão de Maria do Carmo, casou-se com Janice e tem três filhos: Eleonora, Venâncio e Regininha; É motorista do refinado Pedro Correia de Andrade e Couto, o Barão de Bonsucesso, e de sua esposa, a baronesa Laura – um casal alegre que gosta de celebrar a vida, embora não tenha mais a mesma situação financeira de tempos atrás. O dinheiro do barão é administrado por seu filho, Leonardo, que vive reclamando dos excêntricos gastos do pai. Após conhecer Giovanni Improtta, o barão aceita ser seu personal stylist e passa a dar aulas de etiqueta ao ex-bicheiro, que se dirige a Laura como Dona Baroa, garantindo muitos momentos cômicos na história. No decorrer da trama, a baronesa descobre sofrer do Mal de Alzheimer.[19]

Os filhos de Maria do Carmo estão encaminhados na vida. O mais velho, Reginaldo, virou um político ambicioso que não se furta em tentar tirar proveito da popularidade da mãe, avessa ao seu perfil populista e demagógico. Maria do Carmo sempre soube que Reginaldo, conhecido como Naldo, nunca valeu nada e sempre foi falso e a favor do pai que os abandonou na miséria. Reginaldo quer se tornar prefeito de Vila São Miguel e faz campanha pela emancipação da localidade, que fica no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense (RJ). É casado com Leila, com quem tem dois filhos, Bruno e Bianca, mas mantém um caso secreto com sua assessora parlamentar Viviane, tão ambiciosa quanto ele. Leila descobre a infidelidade do marido e, disposta a flagrá-lo com a amante, pede ajuda a Venâncio, primo de Reginaldo, para seguir os dois até um motel. Ela tenta passar para o quarto de Reginaldo pela mureta, mas sofre um acidente fatal ao cair do prédio. Esperto, Reginaldo inverte a situação, acusa a mulher de ser amante do primo, e o convence a não desmentir a história. Sebastião acredita e expulsa Venâncio de casa, inconformado com o fato de ele ter se envolvido com a esposa do próprio primo. O motorista só faz as pazes com o filho meses depois, quando ele sofre um acidente e fica entre a vida e a morte, sendo salvo graças a uma doação de sangue feita pelo próprio pai. Mesmo tendo sido perdoado, Venâncio faz questão de contar ao pai a verdade sobre a morte de Leila. Sebastião fica revoltado com a atitude do sobrinho, mas não pode contar a verdade, pois prejudicaria o filho, que mentiu para a polícia. Já Reginaldo, viúvo, se casa com Viviane, e a dupla arma muitas tramoias ao longo da trama em prol de seus interesses pessoais. Entre as armações, estão o falso sequestro do próprio filho, a prisão da mãe e os assassinatos dos marginais Cigano e Seboso.

Leandro, segundo filho de Maria do Carmo, trabalha como contador para Giovanni. Ele tem um conturbado relacionamento com a mulher, Marinalva, destaque da escola de samba Unidos de Vila São Miguel (mais conhecida como Nalva), que esconde uma paixão pelo cunhado Viriato, o que provoca muitos conflitos em seu casamento.

Viriato, terceiro filho de Maria do Carmo, é maître do restaurante de Edgard Legrand, Monsieur Vatel, em Ipanema, na zona sul da cidade. Seu destino se cruza com o de Maria Eduarda, a Duda, quando ele a salva de um assalto. Os pais de Eduarda, Leonardo e Gisela, não aceitam o namoro da filha com um homem de classe inferior e fazem o que podem para vê-la casada com o jovem deputado federal Thomas Jefferson. No final, Leonardo descobre que é filho do mordomo Alfred com uma cozinheira que morreu no parto, tendo sido adotado pelo Barão, o que muda sua visão sobre a vida.

O caçula, Plínio, é um jovem mulherengo que não quer saber de trabalho e só pensa em curtir a vida. Ele acaba caindo na armadilha da independente Yara, mulher alguns anos mais velha, que quer ser mãe e o escolhe como “pai de aluguel”, sem nem ao menos consultá-lo. Embora só quisesse usá-lo, Yara é obrigada a recorrer a Plínio quando a empresa em que trabalha vai à falência. Pela primeira vez, então, o rapaz encara uma responsabilidade na vida.

Lindalva, a caçula roubada de Maria do Carmo e batizada como Isabel, transformou-se em uma jovem doce e bonita, que tem uma relação de carinho, amor, respeito e cumplicidade com a perturbada e perigosa psicopata Nazaré, que ela pensa ser sua mãe. Nazaré ainda vive com José Carlos e está sempre em guerra com a enteada Maria Cláudia, que foi morar com o pai após sua mãe, abandonada pelo marido, sucumbir à depressão e morrer.

A farsa de Nazaré começa a vir à tona quando o fotógrafo Rodolfo entrega a Dirceu a foto de uma enfermeira grávida com um bebê no colo, tirada por ele durante o tumulto no centro do Rio, em 13 de dezembro de 1968. Maria do Carmo e Leandro reconhecem a sequestradora. Dirceu pede a Rodolfo que use programas de computador para “envelhecer” a foto e chegar ao rosto atual da mulher. Depois, consegue que a história de Maria do Carmo seja tema de um programa investigativo na TV. José Carlos assiste ao programa e diz a Nazaré que vai denunciá-la. Os dois discutem e ela o empurra da escada de casa. No chão, com fortes dores no peito, pede a Nazaré que pegue o seu remédio, mas a vilã o joga fora, deixando-o para morrer nos braços de Isabel.

Com a morte do homem que ela pensa ser seu pai e ama muito, Isabel começa a trabalhar no restaurante Monsieur Vatel. Ela e Edgard se apaixonam, e o maître Viriato nem imagina que a namorada do patrão é sua irmã desaparecida. O namoro de Isabel e Edgard deixa Nazaré desesperada, pois o rapaz é neto de Madame Berthe. No final da trama, o receio de Nazaré se justifica: é o diário da cafetina que confirma a história do sequestro. Antes disso, porém, a vilã apronta muitas. Ela passa a ter como amante e aliado o inescrupuloso Josivaldo, o marido safado de Do Carmo, que volta para a família depois de tê-la abandonado para ficar com uma ricaça que não o quis mais, pedindo pensão alimentícia à mulher.

Enquanto Maria do Carmo continua a busca pela filha, Dirceu e Giovanni tentam a todo custo localizar a menina. Em uma dessas tentativas, aparece Angélica, que foi encontrada ainda bebê no mesmo dia do desaparecimento de Lindalva. Mas a alegria de Maria do Carmo dura pouco: Angélica tem uma pinta de nascença na perna e, portanto, não pode ser a filha sequestrada. Mesmo assim, Maria do Carmo a acolhe em casa e faz dela sua secretária na loja. Angélica se envolve com Plínio, e os dois acabam se casando. No decorrer da trama, ela reencontra sua verdadeira mãe, Belmira, mas se decepciona ao descobrir que esta a abandonou para se casar com um milionário por interesse. Por isso resolve manter a história em segredo. Mas Reginaldo e Viviane descobrem e a obrigam a colaborar com as obras superfaturadas da prefeitura de Vila São Miguel, emitindo notas fiscais frias na loja de Do Carmo, e ameaçam contar a verdade sobre sua origem à família Ferreira da Silva caso ela não os obedeça. Angélica cede a chantagem, mas um dia a armação é descoberta pelos fiscais da Receita Federal que surgem na loja. Ela consegue fugir, mas Maria do Carmo acaba sendo responsabilizada pelos atos ilícitos e é presa em flagrante por sonegação fiscal e desacato à autoridade. Reginaldo descobre que Angélica está escondida na casa da verdadeira mãe e a ameaça de morte se ela não sair da cidade, pois teme que a cunhada revele que ele está envolvido no esquema. Mas Plínio consegue localizar a mulher, descobre sua verdadeira história, e a obriga a contar a verdade à polícia. E assim consegue provar a inocência de Do Carmo, que promete mandar Reginaldo para a cadeia.

O cerco contra Nazaré vai se fechando, com a colaboração de vários amigos de Maria do Carmo, inclusive Cláudia. Ela também se torna aliada da nordestina, pois sempre odiou a madrasta e sofreu muito desde pequena em suas mãos. Cláudia conhece Leandro, que está interessado em Isabel sem desconfiar de que ela é sua irmã Lindalva. Ele passa por um momento difícil, pois decidiu se separar de Marinalva, e confunde a amizade de Isabel com amor. Cláudia o alerta sobre seus sentimentos, os dois se aproximam e acabam se apaixonando.

A escada da casa da personagem e sua tesoura viraram símbolos da sua personalidade psicótica. Ao mesmo tempo, Nazaré provocava risadas com seus xingamentos – entre outras expressões, ela se referia a Maria do Carmo como “anta nordestina”, chamava Cláudia de “songa monga” e Josivaldo de “flageladão” – e também fazia rir nas cenas em que se auto-elogiava diante do espelho. Um dos pontos altos da trama foi o encontro de Nazaré com Maria do Carmo, que lhe dá uma boa surra que a deixa ensanguentada e quebrada.

Mesmo após descobrir que foi roubada de sua mãe verdadeira, Isabel ainda leva um tempo até aceitar Do Carmo como mãe. Nazaré pede desculpas a Isabel, diz que a sequestrou porque José Carlos a obrigou. Dividida e sensibilizada, Isabel decide ficar ao lado da megera, pois foi criada por ela como mãe e a ama muito, até dar-se conta de seu verdadeiro caráter.

Jenifer, a estudiosa filha de Giovanni, e Eleonora, filha de Sebastião, apaixonam-se, e, após muita resistência, os pais se veem obrigados a aceitar o romance, passando por cima dos preconceitos. As duas assumem a relação, passam a viver juntas e adotam um recém-nascido, abandonado próximo ao hospital onde Eleonora trabalha como médica. Jenifer e Eleonora não formaram o único casal homossexual na trama: o carnavalesco Ubiracy, o Bira, também tinha o seu par, Turcão.

A comunidade de Pedra Lascada, localizada em Vila São Miguel, é cenário para a história de Rita de Cássia. Mãe de Lady Daiane e Maikel Jackson, Rita é vítima de violência doméstica e dependência química. Ela apanha do marido, o marginal e mau-caráter Cigano – que está preso no início da trama –, e trava uma luta contra as drogas. Sua vida fica ainda mais tumultuada quando a filha, de apenas 15 anos, engravida de Shao Lin. Ele é um “marginalzinho” temido na comunidade (seu verdadeiro nome é Políbio), líder de uma turma de desocupados, e não quer assumir a paternidade da criança. Depois, Rita passa a namorar o taxista português Constantino, que enfrenta Cigano em nome de seu amor. Daiane, já com o filho nos braços, engravida novamente, desta vez de Bruno, o filho de Reginaldo, mas perde o bebê. No final da trama, Shao Lin vira um rapaz responsável, percebe que é apaixonado por Daiane e assume o filho. Daiane, por sua vez, começa a trabalhar na educação de jovens meninas, prevenindo-as das dificuldades de uma gravidez precoce.

Um outro tema que causou repercussão foi o drama vivido por Seu Jacques. Ele se transformou em uma espécie de representante dos aposentados que sofrem com os atrasos, omissões, descasos e humilhações impostos pelo INSS. Indignado, vive repetindo sua história por onde passa: ex-vendedor, teve a aposentadoria calculada de forma errada e seu pedido de revisão tramita há sete anos. Seu Jacques, em cenas bem-humoradas, virou um “cronista” implacável do cotidiano, com análises precisas e cortantes da realidade.

Seu Jacques se apaixona por Djenane, antiga colega de Nazaré no bordel, que reaparece na vida da ex-prostituta para chantageá-la, pois foi testemunha junto com Madame Berthe que Nazaré sequestrou e forjou o parto de Lindalva (Isabel), e ameaça contar tudo para Isabel se Nazaré não lhe der muito dinheiro, pois ela sabe onde está o diário de Madame Berthe que incrimina Nazaré. Durante uma discussão com Nazaré, Djenane cai da escada e morre. Com medo de ser considerada suspeita da morte da colega, a megera arma uma situação para que pensem que Djenane roubara suas joias e muito dinheiro da sua casa e, na correria, teria tropeçado e caído da escada.[20] No final da trama, Seu Jacques conhece a irmã de Djenane e os dois terminam juntos. O cenário do núcleo é o Bairro Peixoto, em Copacabana (zona sul do Rio). Nazaré aprontou muito e aprontará mais: matou um amante seu eletrocutado, roubou muito dinheiro de um banco e tentou matar Cláudia a tesouradas, além de fazer chantagem emocional com Isabel.

A atriz Marília Gabriela retorna à novela no papel de Guilhermina, a filha de Josefa, que se torna um obstáculo na realização de um antigo sonho de Sebastião e Dirceu: reabrir o Diário de Notícias. Guilhermina tenta impedir o leilão de um original do pintor Cézanne, que Josefa havia deixado para Sebastião, e cuja renda seria usada para a reabertura do jornal. A tela permaneceu vários anos escondida no Ford Galaxie que Sebastião herdou de sua ex-patroa e mantém guardado em sua garagem.[21] Apesar dos entraves, o jornal é reaberto, e nele passam a trabalhar Cláudia, Alberto e Rodolfo. Guilhermina e Dirceu se estranham em um primeiro momento, e seus encontros sempre terminam em troca de acusações. A hostilidade mútua dá lugar à paixão, e os dois ficam juntos no fim da história, depois que Maria do Carmo aceita se casar com Giovanni.

Reginaldo, denunciado por suas falcatruas na prefeitura de Vila São Miguel, é hostilizado pelo povo. Ele resolve fazer um comício, onde espera, mais uma vez, ludibriar os eleitores. Sebastião, porém, revela a verdade sobre a morte de Leila à Maria do Carmo, que, por sua vez, conta tudo ao eleitorado. Reginaldo é vaiado e apedrejado pelos populares. Uma pedra, em particular, atirada por seu ex-cabo eleitoral Merival, o atinge na cabeça e, desta vez, ele morre.

Nazaré aparentemente morre após atirar-se de uma ponte na cachoeira de Paulo Afonso, na Bahia. Ela se suicida após sequestrar Linda, a filha de Isabel e Edgard. Diante de Isabel, porém, ela se redime e lhe entrega o bebê antes de saltar para a morte. Porém Fausta, sua antiga empregada, tem uma visão de uma pessoa misteriosa bem próxima de sua casa, deixando implícito que Nazaré ainda poderia estar viva.

Leandro se casa com Cláudia, que engravida. Viriato, após passar um período na França especializando-se em culinária, volta ao Brasil e reata com Duda, que está grávida, com quem havia se casado. Plínio, casado com Angélica, que engravida dele, ganha de Yara a permissão para ficar com o filho Dado, já que ela vai se mudar para o Japão. Regininha engravida do namorado João Manoel, e os dois apressam o casamento. Danielle e Venâncio, casados, descobrem que vão ser pais. Marinalva se casa com o deputado Thomas Jefferson, e Viviane vira esposa do senador Victório Vianna (personagem da telenovela Porto dos Milagres, que retornou em Senhora do Destino como senador, interpretado em ambas as versões por Lima Duarte). Josivaldo acaba nas ruas, como um mendigo maltrapilho e enlouquecido, tendo como único amigo, a estátua de Carlos Drummond de Andrade. Através de uma narração feita por Maria do Carmo, os telespectadores ficam sabendo do futuro dos jovens personagens: Daiane ganha o prêmio Nobel da Paz por sua atuação social conscientizando jovens sobre a gravidez na adolescência e Bianca, neta de Do Carmo e filha de Reginaldo, é eleita prefeita de Vila São Miguel.

Top
%d blogueiros gostam disto: