“Três coisas que me deixam vivo: meu sonho, minha esperança e meu sorriso”, diz Kaysar, segundo lugar no BBB18

Kaysar grita BBB18

Kaysar grita BBB18

Desde o início eles sabiam que dos quatro, apenas dois permaneceriam no jogo e disputariam o prêmio final. Na primeira semana, o público votou e escolheu que pai e filha, Ayrton e Ana Clara, continuariam no reality BBB19 jogando como apenas um participante. ‘Papito’, o participante mais velho desta edição, mostrou que coração de pai também tem espaço para mais alguns filhos. Além do quase diário “Acorda para fazer o raio-x, Ana clara”, o pai da família Lima cozinhou, dançou, conversou — sozinho, inclusive — chorou, arrastou chinelo, brigou, bateu porta, foi líder e, óbvio, foi linha dura com a filha na mesma proporção em que amoleceu o coração e se mostrou orgulhoso pela cria. Para Ayrton, viver esse sonho com a família foi ainda melhor. “Tudo é melhor quando é compartilhado”, disse dentro da casa.

“Três coisas que me deixam vivo: meu sonho, minha esperança e meu sorriso. Estou entregando tudo para vocês”. Foi assim, como esse espírito pra cima e cheio de esperança, que Kaysar, também conhecido como o Papagaio de Aleppo, encantou o público. E quem poderia imaginar que um refugiado sírio chegaria ao ‘Big Brother Brasil’? Mais que isso: que chegaria à final do reality? Sempre com o sorriso no rosto, teve até quem duvidasse de sua alegria dizendo ‘ninguém consegue ser feliz assim o tempo todo’. Mas Kaysar curtiu o programa como poucos: dançou até o chão em todas as festas e curtiu como se não houvesse amanhã, movimentando os outros participantes que não conseguiam ficar parados quando ele, ‘automaticamente’, agitava a casa. No ‘BBB’ fez vários amigos e, no começo, não escolheu grupos. Se relacionou com Patrícia, perdeu a companheira, mas logo encontrou outra parceira na Jéssica. Diariamente ele repetia: “É sempre uma felicidade acordar e saber que eu estou vivo para mais um dia. Hoje será o melhor dia da minha vida”. E assim construiu alianças e chegou longe no jogo. Mesmo com o segundo lugar, Kaysar disse que viveu um sonho e mostrou para o Brasil inteiro que não existe dificuldade que não possa ser superada quando se vai atrás do que se deseja.

Audiência da final do BBB18 é a melhor desde 2010; veja o ibope do Big Brother Brasil ao longo dos anos

“Eu entrei aqui com foco na minha família e dedico esse prêmio para eles. Tomara que eu consiga ajudá-los. Até agora não estou acreditando. Ainda estou meio perdido, mas estou muito feliz!”, contou o sírio.

“Acompanho o programa desde a primeira edição, e meu grande sonho sempre foi estar aqui”, disse Ayrton quando finalmente conseguiu entrar no ‘BBB’ depois de realizar 15 tentativas. Não só conseguiu, como levou a família toda. Ana Clara, Ayrton, Eva e Jorge — filha, pai, mãe e sobrinho da família Lima — foram os primeiros participantes a entrarem na casa, e a primeira família a participar do Big Brother Brasil. Dançaram, se divertiram, brigaram e estreitaram ainda mais seus laços. Mas, principalmente, mostraram ao público que as famílias são diferentes umas das outras.

Em uma família de opostos, Ana Clara foi a participante mais nova dessa edição. A Pimenta Carioca viveu, dançou, foi a última a deixar as festas, brigou, dormiu e tentou fugir inúmeras vezes da marcação cerrada do pai. Com personalidade forte e um grande poder de argumentação, acabou ficando com Breno e formando o primeiro casal da edição. Paula a definiu como ‘Um Neymar’ nas provas. Ganhou duas vezes a liderança e uma imunidade após ficar mais de 43 horas em pé. Como um só, os dois chegaram à final. Mas não foi fácil: eles passaram por três paredões e viveram inúmeras emoções.

Para Ana Clara, a experiência foi única por inúmeros motivos. “Foi um crescimento não só pessoal, mas uma questão familiar. Minha relação com meu pai mudou, meu pensamento em relação a mim mesmo também. Ainda tenho muito o que aprender, mas foi tudo incrível!”, empolgou-se ela. “O BBB fez com que eu descobrisse o amor pela minha família, principalmente pela minha esposa que eu nem imaginava. É muito maior. Foi emoção pura. Foi muito legal. Valeu a pena esperar 15 anos e eu vou me inscrever de novo!”, brincou Ayrton.

  • Nazaré Benevides

    kaysar sempre sera o nosso campeão

%d blogueiros gostam disto: