Super Drags é cancelada pela Netflix após uma temporada, segundo colunista - Portal Overtube Super Drags é cancelada pela Netflix após uma temporada, segundo colunista - Portal Overtube

Super Drags é cancelada pela Netflix após uma temporada, segundo colunista

Super Drags (Divulgação/Netflix)

Super Drags (Divulgação/Netflix)

Super Drags, a primeira animação brasileira original da Netflix, foi cancelada após uma temporada. A informação foi revelada pelo colunista Lauro Jardim, do O Globo, mas não foi confirmada ainda pelo serviço de streaming.

A série gira em torno de três jovens, Patrick, Donny e Ramon, que de dia trabalham em uma loja de departamento com clientes irritantes e um chefe exigente. À noite, liberam suas divas internas para se tornar Lemon Chiffon, Safira Cian e Scarlet Carmesim: três fabulosas drag queens que foram recrutadas para reunir a comunidade LGBT e espalhar purpurina pelo mundo.

A série tem cinco episódios e foi criada por Anderson Mahanski, Fernando Mendonça e Paulo Lescaut, com produção da Combo Estúdio.

Super Drags: cercada de conservadorismo

Antes mesmo da sua estreia na plataforma, Super Drags foi cercada de conservadorismo. A Netflix teve de entrar em ação para informar que a produção, apesar de ser uma animação, é voltada para o público adulto – assim como outros produtos da plataforma, como o sucesso “Bojack Horseman”.

Segundo o Uol, A Sociedade Brasileira de Pediatria emitiu um comunicado informando que a série é imprópria para crianças, por apresentar personagens drag queens. Nas redes sociais, as opiniões se dividiram – há quem defendeu a série por trazer personagens LGBTs e há quem emitiu comentários contra a presença de “Super Drags” no catálogo da Netflix, ameaçando até cancelar a assinatura do serviço.

A Netflix então lançou um teaser com a personagem Vedete Champanhe, que precisou deixar claro a classificação indicativa imposta pelo Ministério Público – não recomendada para menores de 16 anos. Dublada pela drag queen brasileira Silvetty Montilla, a personagem ainda informava que é responsabilidade dos adultos filtrar o conteúdo para as crianças, e indica meios de como fazer isso, como através de senhas. Debochada, ainda deixava uma dica, no vídeo – se não souber como fazer, é só procurar no Google.

blank
Paulo Victor
Professor e entusiasta da sétima arte, atua na internet há mais de dez anos produzindo conteúdo sobre séries e cinema, aprecia a dramaturgia para as diferentes telas.
Top