Flávio Bolsonaro defende Anitta, mas cantora rejeita apoio: “Não voto em homofóbico”

Anitta e Flavio Bolsonaro

Anitta e Flavio Bolsonaro

Desde terça-feira (18), Anitta vem sendo bombardeada por fãs e simpatizantes depois de seguir uma amiga no Instagram que apoia Bolsonaro. A artista foi pressionada por grandes fãs clubes a posicionar-se publicamente sobre a sua opinião política. O nome dela inclusive ficou entre os assuntos comentados do Twitter. Ela, por sua vez, recusou-se a declarar seu voto. “Quero que vocês respeitem o meu direito do voto secreto”, declarou.

Por outro lado, Flávio Bolsonaro, filho do candidato à Presidência Jair Bolsonaro, defendeu a funkeira em redes sociais. Segundo ele, existe uma “perseguição a artistas que se posicionam publicamente a favor de Bolsonaro”, disse, em vídeo. Quem assistiu entendeu uma clara referência ao que Anitta estava passando. “Há uma pressão aí que ela [Anitta] se posicione contra Bolsonaro. Não sei qual é a preferência político-partidária dela, mas vocês têm que entender o seguinte, parem de ficar patrulhando a vida dos outros”, concluiu.

O que Flávio Bolsonaro não esperava era uma resposta de Anitta. Depois de ser mencionada indiretamente pelo político, a artista resolveu gravar um novo vídeo. Claramente, a atual jurada do The Voice México disse que não vota em candidato homofóbico e racista. “Eu vim aqui mais uma vez falar sobre eleições, estão usando meu nome para travar campanha e discursos políticos do qual eu não faço parte. Ontem eu me pronunciei pelas redes sociais dizendo claramente sobre quem sou eu e no que eu acredito”, iniciou.

Ainda no vídeo, ela pediu que sua imagem não fosse atrelada à política. “Eu disse que eu não voto em candidato machista, eu não voto em candidato homofóbico, racista e por ai vai. A gente vive em uma democracia, eu respeito a escolha de voto de todo mundo, eu não vou participar de jogo politico e mais uma vez repito, que eu não gostaria de ver a minha imagem atrelada a isso”, concluiu.

Assista ao vídeo de Flávio Bolsonaro:

Entenda a polêmica envolvendo Anitta e fãs

Em meio à campanha #EleNão, em que vários artistas se posicionam contra Bolsonaro na presidência da República,  Anitta contrariou a corrente e decidiu não publicar seu posicionamento política. A pressão por esse pronunciamento começou quando a artista seguiu uma amiga no Instagram que defendia o candidato.

O episódio tomou proporções gigantes, tornando o nome de Anitta um dos assuntos mais comentados das redes sociais. Grandes fã-clubes dedicados à cantora inclusive ameaçaram interromper suas atividades caso a artista não falasse sobre o assunto. Em seu Stories, ela admitiu que seguiu a pessoa em questão, que, segundo ela, era amiga de anos. “Eu respeito a opinião de todos. Espero que vocês respeitem a minha também”, declarou.

Mesmo esclarecendo pelo Stories, Anitta continuou sendo pressionada pelos fãs. Ela resolveu, então, publicar um “textão” no feed de seu perfil.  Para evitar mais polêmicas, a cantora desativou o campo dos comentários. “Essa sou eu. Eu sou contra a violência, contra a discriminação de qualquer espécie. Sou contra o ódio e a intolerância. Sou a favor da igualdade de gênero, contra a homofobia e o racismo. Defendo a liberdade do outro de decidir o que fazer com seu corpo. Através da minha arte tento contribuir com o que posso para vivermos num mundo melhor e mais igualitário”, iniciou.

Anitta causa polêmica ao seguir amiga que apoia Bolsonaro
Anitta causa polêmica ao seguir amiga que apoia Bolsonaro

Ainda no texto, Anitta comenta que por meio de seus trabalhos apoia diversos movimentos. “Anos de trabalho na minha carreira de cantora em que apoiei de diversas maneiras as idéias que acredito não vão ser apagados por não querer me envolver com política, pelo menos não para mim. Eu sou brasileira e quero que nosso país melhore assim como cada um de vocês. Eu nasci pobre e com muito esforço tenho conquistado meu caminho. Sofri por ser funkeira, favelada e ainda sofro por ser mulher. Eu não queria sofrer ainda mais com tanto ódio e ataques. Vivemos tempos difíceis e é esse o meu desejo. Qualquer coisa diferente do que citei acima não tem meu apoio, obviamente. Respeitem o próximo e suas decisões. Isso sim vai ajudar a sermos uma sociedade tolerante. Nós somos esse país”, concluiu.

Mas não foi isso. Suas declarações no Twitter renderam mais notícias na imprensa. Em uma das mensagens, Anitta escreveu o seguinte: “É totalmente incoerente dizer que eu apoio a morte à comunidade LGBTQ+ quando eu faço parte dela. Estaria apoiando a minha própria morte”, escreveu. Alguns fãs interpretaram que a funkeira estava se assumindo bissexual.

Ana Luiza
Jornalista especializada em bastidores da TV, streaming e famosos, apaixonada pelo mundo do entretenimento
Top