Globo estreia a minissérie "Elis - Viver é Melhor que Sonhar" nesta terça (08/01) - Portal Overtube Globo estreia a minissérie "Elis - Viver é Melhor que Sonhar" nesta terça (08/01) - Portal Overtube

Globo estreia a minissérie “Elis – Viver é Melhor que Sonhar” nesta terça (08/01)

Andréia Horta como Elis Regina (Foto: Divulgação)

Andréia Horta como Elis Regina (Foto: Divulgação)

A Rede Globo estreia nesta terça-feira (08) a minissérie Elis – Viver é Melhor que Sonhar. Em quatro episódios, a produção narra a história da cantora Elis Regina.

Baseado no filme “Elis”, a minissérie é uma coprodução da Globo Filmes com a Bravura Cinematográfica e Academia de Filmes.

De acordo com a Globo, a produção reúne cenas do filme com imagens inéditas gravadas para o formato de minissérie. Material documental também será acrescentado a produção que é protagonizada por Andreia Horta.

Mel Lisboa, Sergio Guizé e Thelmo Fernandes também integram o elenco. O roteiro ficou por conta de George Moura, Hugo Prata, Luiz Bolognesi e Vera Egito. Já a direção é de Hugo Prata.

A minissérie é conduzida por uma entrevista fictícia gravada por Elis (Andrea Horta) antes de morrer. A partir daí é construída a trama, que será exibida de terça (08) a sexta (11).

Confira a sinopse:

Cantora desde a infância, Elis Regina deixa Rio Grande do Sul logo após entrar para a vida adulta. Ela então vai espalhar seu talento pelo Brasil, a partir do Rio de Janeiro. Em rápida ascensão, ela logo conquista uma legião de fãs, entre eles o famoso compositor e produtor Ronaldo Bôscoli, com quem acaba se casando. Estrela de TV, polêmica, intensa e briguenta, a “Pimentinha” não tarda a ser reconhecida como a maior voz do Brasil, em carreira marcada por altos e baixos.

A Rede Globo exibe Elis – Viver é Melhor que Sonhar a partir desta terça (08), após a novela O Sétimo Guardião.

Andreia Horta sobre “Elis”

Em entrevista, Andreia Hora falou sobre atuar no filme e interpretar a cantora nos cinemas.  “A hora da morte é um momento bem delicado. Foi o mais difícil”, contou, sobre a cena de despedida, à Veja.

“Houve outros momentos difíceis de tanta alegria e prazer, como na hora de cantar O Bêbado e a Equilibrista, por tudo que representava. Era muito forte esse momento, foi difícil porque queria fazer bem”, revelou a protagonista.

No filme que vai virar minissérie na Rede Globo, as músicas são as originais, interpretadas por Elis Regina. Andreia Horta apenas dubla as canções.

“A voz da Elis é única. Seria uma traição à memória auditiva do espectador se eu cantasse. É muito mais fácil você cantar com a própria respiração, com o próprio jeito, do que se encaixar na forma como outra pessoa canta. Era exaustivo”, dispara.

Top