Nany People fala sobre mudança de sexo e início de carreira: "Tomei muita água para dormir de fome" - Portal Overtube Nany People fala sobre mudança de sexo e início de carreira: "Tomei muita água para dormir de fome" - Portal Overtube

Nany People fala sobre mudança de sexo e início de carreira: “Tomei muita água para dormir de fome”

Marcos Paulo (Nany People) em O Sétimo Guardião

Marcos Paulo (Nany People) em O Sétimo Guardião

Nany People chegou com tudo em O Sétimo Guardião. Seu personagem, o químico Marcos Paulo, revelou seu novo visual para Valentina (Lília Cabral) no capítulo exibido na última sexta-feira na Rede Globo.

Nany People, que assim como seu personagem, é transexual, explicou a transformação do Marcos Paulo na novela. “Ele não fez só mudança de sexo, ele fez uma lipoescultura. A Valentina estava esperando chegar o Sinhôzinho Malta e chega a viúva Porcina”, brincou a atriz, que estreia numa novela aos 53 anos.

“Nunca é tarde para nada, veio na hora certa, fiz uma carreira consistente, feliz no teatro e foi graças a isso que acabei chegando até aqui”, comemora.

Em entrevista ao Uol, Nany People contou como foi, na vida real, a descoberta de que era transexual. “Quando me descobri transexual, não sabia nem que o nome era esse. Com 10 anos, fui jogada no psiquiatra porque eu tinha disfunção social. Eu não me encaixava porque queria ter o comportamento das meninas, mas era cobrada para ter o dos meninos”, revela.

“Quando cheguei em São Paulo aos 20, descobri que o nome era esse, que era transexual, que não tinha mecanismos de comportamento que um gay tradicional teria, era muito romântica, era virgem, então a coisa era lenta comigo. Duas coisas demorei na vida: a dirigir e a dar, quando comecei também, foi ladeira abaixo”, brincou a atriz, aos risos.

Pedido da mãe

Nany People revelou que optou por não fazer a cirurgia de mudança de sexo – chamada de “redesignação sexual” – atendendo a um pedido da própria mãe.

“Quando fui levada ao Hospital das Clínicas, descobri que era transexual, fiz tratamento três anos e meio, quando foi marcada minha cirurgia, minha mãe se ajoelhou no chão e disse: ‘Não faça isso’. Achei que pra mim não era viável, e a vida me mostrou que não era necessário (…) Se coloca na cirurgia um resultado, uma expectativa de uma satisfação que não é real. Às vezes, a espera é melhor do que a realização em si. A vida foi me mostrando que não tinha tanta importância assim”, contou.

A atriz, que mostrou todo seu talento ao surgir no teatro, revelou palavras de sua mãe sobre sexualidade e relacionamentos: “Ela falou assim: ‘Se vagina prendesse homem, seu pai não teria me traído com uma empregada analfabeta’, o que para ela era um grande sopapo”.

Juventude humilde

Antes de iniciar a carreira no teatro, Nany People conta que teve uma juventude humilde e chegou a passar fome. “Tomei muita água para dormir de fome. Cheguei em São Paulo com um colchão de espuma e um sonho na cabeça”, contou a atriz, natural de Machado, em Minas Gerais.

“Com 13 anos fui trabalhar pra embalar condimento e já dava dinheiro em casa. Em São Paulo fui bilheteira de teatro, fui camareira da dona Nicette Bruno no teatro, garçonete no café Piu-Piu, maquiadora, fui passadeira. Chegava a passar 60 camisas no fim de semana”, completou.

Paulo Victor
Professor e entusiasta da sétima arte, atua na internet há mais de dez anos produzindo conteúdo sobre séries e cinema, aprecia a dramaturgia para as diferentes telas.
Top