Vídeo: Com Bolsonaro, jornalista é obrigada a reproduzir nota da Globo e passa vergonha - Portal Overtube Vídeo: Com Bolsonaro, jornalista é obrigada a reproduzir nota da Globo e passa vergonha - Portal Overtube

Vídeo: Com Bolsonaro, jornalista é obrigada a reproduzir nota da Globo e passa vergonha

Miriam Leitão passa vergonha na Globo News (Reprodução)

Miriam Leitão passa vergonha na Globo News (Reprodução)

A jornalista Miriam Leitão passou por um constrangimento histórico na noite desta sexta-feira (03) ao fim da entrevista com o pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro.

Depois de uma conversa calorosa com o pré-candidato, a jornalista foi surpreendida com o pedido da produção antes de sair do ar: reproduzir uma nota do Grupo Globo em resposta à declaração de Bolsonaro, que, ao defender a ditadura militar, citou Roberto Marinho.

Sem texto disponível no teleprompter, a produção teve que ditar a nota completa no ponto eletrônico de Miriam Leitão. O resultado não poderia ser outro e o vídeo já entre as maiores gafes da TV.

Assista:

Bolsonaro na Globo News

O pré-candidato à presidência da República Jair Bolsonaro participou nesta sexta-feira (03) de uma sabatina promovida pela Globo News. Nas redes sociais, as opiniões em relação ao deputado, como sempre, se dividiram. Entre suas falas polêmicas, citou Roberto Marinho, já falecido, ao defender a ditadura – ele reproduziu de cor um editorial do O  Globo assinado por Marinho.

“Participamos da Revolução de 1964, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, ameaçadas pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada.

Prosseguimos apoiando o movimento vitorioso desde os primeiros momentos de correção de rumos até o atual processo de abertura, que se deverá consolidar com a posse do novo presidente.

Temos permanecidos fiéis aos seus objetivos, embora conflitando em várias oportunidades com aqueles que pretenderam assumir o controle do processo revolucionário, esquecendo-se de que os acontecimentos se iniciaram, como reconheceu o Marechal Costa e Silva, “por exigência inelutável do povo brasileiro”.

Sem o povo não haveria revolução, mas apenas um ‘pronunciamento” ou “golpe” com o qual não estaríamos solidários….”

Top