Fábio Pannunzio é obrigado pela Justiça a apagar publicações em que critica Luciano Hang - Portal Overtube Fábio Pannunzio é obrigado pela Justiça a apagar publicações em que critica Luciano Hang - Portal Overtube

Fábio Pannunzio é obrigado pela Justiça a apagar publicações em que critica Luciano Hang

Fábio Pannunzio, âncora da Band (Foto: Reprodução)

Fábio Pannunzio, âncora da Band (Foto: Reprodução)

O jornalista Fábio Pannunzio acaba de voltar a ser notícia no país. O ex-âncora da Band foi condenado pela Justiça a apagar de suas redes sociais uma publicação em que critica o empresário Luciano Hang, dono da Havan.

Hang conseguiu uma liminar e, com tal determinação judicial, Pannunzio terá que pagar uma multa caso não tenha excluído a mensagem em questão num período de 48 horas. Foi ele próprio quem fez a revelação no Twitter.

“Luciano Hang censurou judicialmente o post que você vê logo abaixo. O Véio da Havan está me processando por danos morais (SIC) e conseguiu uma liminar que me obriga a retirar do ar o tuíte abaixo. É óbvia a atitude censória do do maior inimigo da liberdade de expressão no Brasil”, afirmou.

Luciano Hang x Fábio Pannunzio

A publicação e questão foi publicada no dia 8 de setembro deste ano. “Um capitalista às minha custas. Que paga impostos e não faz como você, que é um sonegador contumaz com trânsito em julgado. Pague seus impostos, véio da Havan . E pare de roubar roubar o dinheiro dos tributos que deveriam virar escolas, hospitais e creches”, dizia o tweet.

“Tenho 48 horas para tirar o texto a partir de hoje, data em que recebi a citação por correio na casa da minha ex-mulher, onde não vivo há 8 anos. A liminar será contestada por meus advogados junto ao TJSP. Se for mantida, será cumprida. Eu não brinco com decisão judicial”, afirmou.

Pannunzio, no entanto, garantiu que não concorda e que vai recorrer. “Qualquer dicionário registra que roubar é também ‘destituir (algo abstrato) de; privar, subtrair’ ou ‘provocar dano, desgaste ou destruição a; consumir, gastar, tirar’ (Grande Dicionário Houaiss). É evidente que este é o sentido do meu texto”, seguiu.

“Vou vencê-lo na Justiça. Condenar um jornalista por dizer uma verdade factual irrefutável, ainda que de maneira crítica, é como rasgar o Inciso XIV do Art. 5o. da CF: “é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte necessário ao exercício profissional”.

Top