Filho de William Bonner tem CPF fraudado e usado em pedido de auxílio emergencial - Portal Overtube Filho de William Bonner tem CPF fraudado e usado em pedido de auxílio emergencial - Portal Overtube

Filho de William Bonner tem CPF fraudado e usado em pedido de auxílio emergencial

O jornalista William Bonner (Reprodução/GloboPlay)

O jornalista William Bonner (Reprodução/GloboPlay)

O jornalista William Bonner está sumido de sua conta oficial no Twitter. Na manhã desta quinta-feira (21), entretanto, o âncora do Jornal Nacional retornou à rede social para fazer uma denúncia envolvendo seu filho, Vinicius Bonemer.

Bonner afirma que estelionatários estão usando o nome e o CPF de Vinicius há cerca de 3 anos e utilizando os dados para fraudes como a abertura de empresas ou contratação de serviços de TV por assinatura.

De acordo com o jornalista da Globo, advogados já tomaram conta do caso e tentam resolver as questões burocráticas para que um novo número de CPF seja fornecido. Além disso, o profissional de imprensa aproveitou para fazer uma outra denúncia.

William Bonner revela que soube nesta semana que um jornal obteve documentos que provam um suposto registro de seu filho no site do auxílio emergencial. “Meu filho não pediu auxílio nenhum, não autorizou ninguém a fazer isso por ele. Mais uma fraude, obviamente”, explicou.

O jornal não publicou a notícia, já que constatou que se trata de uma fraude. Apesar disso, Bonner relembrou que Vinicius Bonemer não teria direito ao auxílio emergencial por conta de suas condições sócio-econômicas.

Fraude

Quem usasse seu nome deveria receber uma resposta negativa, mas isso não aconteceu. “Pelo que vimos ao consultar o site do Dataprev, o pedido de auxílio feito por um fraudador foi aprovado. Ele [o fraudador] provavelmente indicou que não tinha conta bancária e abriu a conta específica da Caixa – a que, obviamente, meu filho não tem acesso. Portanto, sequer sabemos se o dinheiro foi depositado e se foi sacado”.

Na sequência, Bonner relembra de uma reportagem do jornal O Globo que afirma que a Dataprev não verificou na receita os CPFs dos solicitantes. “Embora pertencentes a pessoas sem renda própria, não foi verificado se eram de dependentes de cidadãos com renda (como filhos, filhas,parceiros,parceiras). Quantos entre esses foram vítimas de fraudadores, como aconteceu com meu filho?”, questionou.

“Quantos entre esses realmente fraudaram o programa? Meu filho não fraudou, é vítima e pode provar. Não se zelou pela aplicação do dinheiro público? Quem protege os cofres públicos da ação de estelionatários ou de pessoas mal intencionadas?”, continuou o jornalista, que afirmou que abriu uma queixa-crime.

Confira a thread publicada por William Bonner:

Top