Pedro Cardoso volta a criticar Bolsonaro, fala em Sérgio Moro e cita "alienação política" - Portal Overtube Pedro Cardoso volta a criticar Bolsonaro, fala em Sérgio Moro e cita "alienação política" - Portal Overtube

Pedro Cardoso volta a criticar Bolsonaro, fala em Sérgio Moro e cita “alienação política”

Pedro Cardoso em entrevista ao programa Provocações (Reprodução/YouTube)

Pedro Cardoso em entrevista ao programa Provocações (Reprodução/YouTube)

O programa Provocações, apresentado por Marcelo Tas na TV Cultura, recebeu uma figura bastante polêmica na noite desta terça-feira (23). O convidado especial foi o ator Pedro Cardoso, mais conhecido por seu icônico papel de Agostinho Carrara na série A Grande Família,

Durante a conversa, ele não se importou em tomar em temas delicados e criticou o discurso usado por Jair Bolsonaro, que diz “Deus acima de tudo”. “Aí eu li lá um pensador chamado [Karl] Popper que diz o seguinte: ‘A intolerância não pode ser tolerada, porque ela nega o próprio fundamento da convivência’”, citou.

“Então a intolerância, a pessoa que acha que o pensamento dela dá a ela o direito de se impor ao outro como agora: ‘Deus acima de tudo’, que é o lema do fascismo vigente no Brasil”, disparou o artista brasileiro.

Depois, ele continua. “Como Deus está acima de mim que não crê em Deus? Como alguém pode dizer pra mim que o Deus dele está acima de mim? Por que, quando alguém diz ‘Deus acima de tudo’, é o Deus da pessoa. Não é o Deus de qualquer um. Qual é o Deus que é posto acima de tudo? Todo mundo que fala em Deus está escondendo seu desejo de ter sua ascensão social e de ganhar dinheiro”, disparou o ator.

Globo, Bolsonaro e Sérgio Moro

Marcelo Tas lembrou que eleitores de Bolsonaro podem acreditar que ele se refere ao fascismo apenas com relação ao presidente, algo que o ator negou. “Eu tô falando do fascismo brasileiro, a própria pessoa de Jair eu acho uma inutilidade perder tempo com ele”, alfinetou.

“Eles já estão trocando o Jair por Sérgio Moro. Um dos elementos do fascismo é a idolatria por alguém. Foi com Luiz Inácio, pode ser com Jair Messias ou Sérgio Moro. O próprio movimento de tirar da pessoa uma responsabilidade e colocar num líder já é um fato de alienação política”, disse ele.

Pedro Cardoso também afirmou ser de “extrema esquerda” e garante não ter enriquecido com seu trabalho na Globo. Ele ficou por lá muitos anos e Agostinho Carrara, da série A Grande Família, foi seu maior sucesso.

“Quem ficou rico com o Agostinho foi a Rede Globo. A Rede Globo, que é o capitalista daquele negócio, que tem possibilidade de ficar rica. Eu tenho 57 anos e eu não tenho uma economia que me permita parar de trabalhar. Eu venho ao Brasil para trabalhar e venho trabalhar pelo dinheiro da bilheteria”, concluiu.

A entrevista está disponível abaixo:

Top