Quase aos 50, Marcos Pasquim comenta diagnóstico de fobia: "Não ando de montanha-russa" - Portal Overtube Quase aos 50, Marcos Pasquim comenta diagnóstico de fobia: "Não ando de montanha-russa" - Portal Overtube

Quase aos 50, Marcos Pasquim comenta diagnóstico de fobia: “Não ando de montanha-russa”

Marcos Pasquim comemora nova fase em sua vida pessoa (Divulgação/Vinícius Mochizuki)

Marcos Pasquim comemora nova fase em sua vida pessoa (Divulgação/Vinícius Mochizuki)

O ator Marcos Pasquim acaba de finalizar mais um trabalho. Com o desfecho de Marino, de O Tempo Não Para, o ator vai rodar dois filmes e quer estrelar um novo espetáculo.

No entanto, o momento é de descanso para o artista, que fará uma viagem de férias para Orlando, nos Estados Unidos. 2019 é um ano de mudanças para Pasquim: ele chegará aos 50 anos, sendo metade deles trabalhando na carreira.

“Não tive crise alguma, estou bem! Chegando aos 50, minha cabeça está melhor até. Costumo me alimentar bem e cuidar do meu corpo para melhorar com essa passagem dos anos”, assegura o ator, que continua sendo muito paquerado. “Recebo muitos elogios, é verdade. Com e sem barba”, disse em entrevista ao Gshow.

Marcos está solteiro e conta que, ao menos até então, nunca experimentou conhecer alguém através de aplicativos. “Iniciativa nunca intimida. Se for bem-humorada e inteligente, é ótimo, mas se for vulgar me incomoda”.

Apesar de morar com a filha, Alicia, de 14 anos e ter uma vida estruturada, o ator não descarta a possibilidade de voltar a se casar. “Quando a gente se apaixona, quer levar uma vida com essa pessoa. O amor me faria embarcar nessa de novo, com certeza”.

Falando em Alícia, Marcos Pasquim comenta que é um grande pai e se dedica muito. “Compro roupa para ela, já fui ao salão de beleza, levo para as festas… Sou o máximo que consigo ser e o que eu sei ser como pai. As pessoas dizem que sou um paizão, e eu gosto de me ver assim”.

Crise de agorafobia

Apesar do sucesso na carreira, Pasquim passou por algumas questões complicadas em sua vida pessoal. Entre 2002 e 2006 ele enfrentou agorafobia, um distúrbio de ansiedade. Ele conta que a primeira crise aconteceu durante a minissérie O Quinto dos Infernos.

“O sintoma do agorafobia é batimento cardíaco muito forte, porque é uma descarga de adrenalina que o cérebro manda para o coração, um desconforto monumental, de muita ansiedade, de achar que vai morrer por algum motivo que você não sabe qual é. Mas fiz o tratamento e, hoje, estou curado. Levo a vida muito bem”, revela o ator.

Apesar de ter sido um momento complicado, ter enfrentado a doença não muda a rotina atual de Marcos. Ele apenas não se arrisca em atividades muito radicais. “Evito situações de adrenalina muito forte. Não ando mais de montanha-russa, por exemplo, e nunca vou pular de paraquedas. Fora isso, minha vida continua igual, graças a Deus!”.

Top