Vítima de racismo, Cacau Protásio chora e faz desabafo: "Por que tanto ódio?" - Portal Overtube Vítima de racismo, Cacau Protásio chora e faz desabafo: "Por que tanto ódio?" - Portal Overtube

Vítima de racismo, Cacau Protásio chora e faz desabafo: “Por que tanto ódio?”

A atriz Cacau Protásio (Reprodução/Instagram)

A atriz Cacau Protásio (Reprodução/Instagram)

A atriz Cacau Protásio, que atualmente está no ar na Globo na reprise da novela Avenida Brasil, está passando por um triste momento. A artista foi mais uma vítima de racismo no país enquanto participava das filmagens do filme Juntos e Enrolados.

Tudo aconteceu no Quartel Central do Corpo de Bombeiros, que fica no centro do Rio de Janeiro, onde as filmagens estão acontecendo. Leo Dias publicou áudios de alguns dos bombeiros do local em que criticam e ofendem Cacau.

Usando sua conta oficial no Instagram, a atriz fez um desabafo por conta do triste ocorrido e chegou a se emocionar muito nas imagens. “Eu estou fazendo um filme, que eu faço um bombeiro, sargento, e domingo, eu fui filmar no batalhão de bombeiros no Centro da cidade”, contou.

“Fui super bem recebida, bem assessorada, sendo que tem um bombeiro que fez um vídeo de uma cena solta e espalhou por aí. Em momento algum ele desceu para saber o que estava acontecendo, o que era, e a cena que ele postou é o pedaço de uma cena que é um sonho do meu superior”, prosseguiu.

Cacau ainda explicou. “Eu faço um filme, eu conto história, aquilo ali é uma ficção, não é realidade. E ele espalhou o vídeo com um áudio me chamando de negra, gorda, fdp, aquela cambada de viado… Racismo é preconceito, se vocês não sabem, se ele não sabe, e isso é muito triste. Não entendi porque tanto ódio”.

Desabafo continua

Em Juntos e Misturados, Cacau Protásio interpreta Diana e trabalha ao lado de Marcos Pasquim. Antes dos tristes comentários, ela havia agradecido ao CBMERJ em uma rede social, além de festejar o papel no longa.

A atriz ainda seguiu o desabafo. “Sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz, eu conto histórias, conto ficção. Não mereço ser agredida, assim como nenhuma pessoa. Eu respeito a opinião de alguns bombeiros que dizem: ‘ah, eu não acho certo’. Mas vai ver realmente a história antes de agredir”, prosseguiu.

“Eu printei tudo o que foi colocado na minha página. Tem uma menina no Facebook também superfalando mal. Postou uma foto minha de farda e os coleguinhas dela detonando. Tudo isso eu printei, porque isso é crime. Você ser preconceituoso é crime”, continuou Cacau.

Por fim, ela ainda lembrou que racismo é crime. “Você pode não gostar, mas tem que respeitar. E por que esse ódio? Juro que não entendo. A cena é uma alucinação de um personagem, um sonho. Quando ele volta, eu tô ali, trabalhando. O bombeiro é uma corporação que eu respeito, que amo, que queria ser quando criança. Nas minhas primeiras entrevistas, sempre falei isso”.

Top