Adrilles Jorge é demitido da Jovem Pan após suposta saudação nazista

Adrilles Jorge foi demitido da Jovem Pan após suposto gesto nazista (Imagem: Reprodução)

Adrilles Jorge foi demitido da Jovem Pan após suposto gesto nazista (Imagem: Reprodução)

O comentarista Adrilles Jorges foi demitido nesta quarta-feira (9) da Jovem Pan depois de uma grande polêmica. Em uma participação em um programa da casa no dia anterior, ele fez uma suposta saudação nazista ao se despedir do público.

Tudo aconteceu enquanto ele comentava o caso de Monark, apresentador que foi demitido do Flow Podcast depois de ser acusado de fazer apologia ao nazismo durante uma entrevista. Ao falar sobre o tema, Adrilles fez uma comparação com o comunismo.

“O nazismo matou 6 milhões de judeus, o comunismo matou mais de 100 milhões de pessoas e hoje é visto aqui no Brasil como uma coisa livre, absolutamente liberada, com partidos normalizados”, disse ele.

Antes de finalizar sua fala, o ex-BBB é interrompido pelo apresentador William Travassos, que demonstra incômodo e anuncia que o programa está terminando. Ao se despedir, Adrilles leva a mão ao rosto, em um gesto parecido com uma saudação nazista. “Surreal, Adrilles”, diz Travassos.

Leia outras notícias do Portal Overtube:

Flow Podcast demite Monark após apologia ao nazismo

Comentarista que acusou Receita Federal de corrupção é demitida da Jovem Pan

Adrilles Jorge nega gesto nazista

Em suas redes sociais, Adrilles Jorge negou que tenha feito uma saudação nazista e culpou o que chama de “canceladores” pela polêmica. “A insanidade dos canceladores ultrapassou o limite da loucura”, diz ele.

“Depois de um discurso meu veemente contra qualquer defesa de nazismo, um tchau é interpretado como um saudação nazista. Nazista é a sanha canceladora que não enxerga o próprio senso assassino do ridículo”, afirmou.

Ao G1, a Jovem Pan confirmou que Adrilles foi demitido e afirmou repudiar qualquer manifestação em defesa do nazismo. “Somos veementemente contra a perseguição a qualquer grupo por questões étnicas, religiosas, raciais ou sexuais”, garantiu a emissora.

“(…) prezamos pelo livre debate de ideias, mas não endossamos qualquer tipo de manifestação que leve ao discurso de ódio e reforce ideias que remetam a um episódio da nossa história que deve ser lembrado como símbolo de um erro da humanidade que não deve jamais ser repetido”, disse o comunicado.

Veja o vídeo abaixo:

Top