Após críticas, Globo se defende dizendo que repórter foi autorizada a entrar em velório de vítimas da Chapecoense - Portal Overtube Após críticas, Globo se defende dizendo que repórter foi autorizada a entrar em velório de vítimas da Chapecoense - Portal Overtube

Após críticas, Globo se defende dizendo que repórter foi autorizada a entrar em velório de vítimas da Chapecoense

O Brasil parou durante a semana depois da notícia da tragédia envolvendo o voo que caiu enquanto levava jogadores e funcionários da Chapecoense e jornalistas para a final da copa Sulamericana que aconteceria na última quarta-feira (30). De lá pra cá foram várias homenagens prestadas às vítimas, além de uma extensa cobertura jornalistica mostrando detalhes do acidente, além da situação dos sobreviventes e das famílias das vítimas.

E foi durante a cobertura da tragédia que uma situação chamou a atenção dos telespectadores. É que na edição do Jornal Nacional que foi ao ar no último sábado (04), uma das reportagens acabou recebendo diversas críticas dos espectadores do jornal e da imprensa especializada. É que a repórter Kiria Meurer se infiltrou com um celular no ônibus que levava os familiares das vítimas até o velório coletivo que aconteceria na Arena Condá, em Chapecó-SC.

Ao começar a reportagem a repórter avisa que a câmera não foi permitida ali e que, por isso, teria que filmar com o seu celular. A conduta da emissora foi amplamente criticada nas redes sociais, e considerada um desrespeito com as pessoas naquele momento tão duro. Após a polêmica, entretanto, a Globo resolveu se defender. É que procurada pela coluna de Keila Jimenez, a emissora esclareceu que Kiria estava autorizada a acompanhar os familiares das vítimas e que a câmera só não foi autorizada pelo tamanho do equipamento, por isso a filmagem pelo celular.

Dentro da emissora, o comentário é que os efeitos negativos que a reportagem poderia causar só foram percebidos depois que a matéria foi ao ar.

Top