Bocardi desabafa sobre vacinação após morte de Paulo Gustavo: "Não teve chance" - Portal Overtube Bocardi desabafa sobre vacinação após morte de Paulo Gustavo: "Não teve chance" - Portal Overtube

Bocardi desabafa sobre vacinação após morte de Paulo Gustavo: “Não teve chance”

O jornalista Rodrigo Bocardi no Bom Dia São Paulo (Imagem: Reprodução/GloboPlay)

O jornalista Rodrigo Bocardi no Bom Dia São Paulo (Imagem: Reprodução/GloboPlay)

Os telejornais da Globo repercutiram bastante a morte do ator Paulo Gustavo, que faleceu nesta terça-feira (4) devido a complicações de um quadro de Covid-19. No Bom Dia São Paulo o apresentador Rodrigo Bocardi comentou o fato.

Durante a edição desta quarta-feira (5), Bocardi lamentou a partida tão precoce do artista brasileiro e aproveitou para fazer uma espécie de desabafo a respeito da vacinação no país, que continua bastante lenta.

“Paulo Gustavo não teve a chance, tantas famílias e outras pessoas que não tiveram a chance de tomar a vacina. Não podemos nos conformar”, disse ele logo depois que o telejornal matinal exibiu uma reportagem que mostrou idosos que não estão conseguindo receber a segunda dose da vacina.

Veja também:

Fátima Bernardes chora ao homenagear Paulo Gustavo

Bolsonaro é chamado de hipócrita ao lamentar morte de Paulo Gustavo

Desabafo

Na sequência, ele pediu que as pessoas tenham consciência. “Toda vez que você ouvir alguém falar [que] ‘já tomou a vacina’, ou você falar, repense se é o caso de dizer ‘já’ ou trocar por ‘ainda’, ‘só agora’. A gente tem que ter um pouco de consciência disso”, pediu ele.

“‘Ah, já chegamos em 60 anos’. Ainda estamos nos 60 anos! A gente tem visto as pessoas não terem a chance de tomar a vacina irem embora. O Brasil chora a partida de Paulo Gustavo porque ele era comum entre nós. Todos conheciam. Só que tem muita gente que tem um Paulo Gustavo na sua vida e que não está mais”.

O apresentador ainda citou que há uma grande mobilização agora, mas lembrou das outras famílias. “A diferença que temos aqui é que Paulo Gustavo era uma pessoa comum entre todos nós. Cada uma dessas 400 mil famílias têm também o seu Paulo Gustavo que se foi. Por isso a solidariedade aqui para todos”, continuou.

“Temos que cobrar dos nossos governantes, relembrar e responsabilizar aqueles que trataram isso de forma omissa. A gente tem que ter consciência de que era para estarmos em uma situação muito melhor se não fosse esse monte de trapalhada que a gente vem acompanhando até aqui. Tá mais que provado que todos esses que tomaram até agora têm um índice de queda de contaminação e internação significativo”, encerrou.

Top