Caetano Veloso beija Tatá Werneck em participação no Lady Night - Portal Overtube Caetano Veloso beija Tatá Werneck em participação no Lady Night - Portal Overtube

Caetano Veloso beija Tatá Werneck em participação no Lady Night

Caetano Veloso tascou um beijaço em Tatá Werneck durante gravações do Lady Night (Reprodução)

Caetano Veloso tascou um beijaço em Tatá Werneck durante gravações do Lady Night (Reprodução)

Caetano Veloso será o principal convidado do Lady Night, aclamado programa de Tatá Werneck no Mutishow, nesta segunda-feira, abrindo a terceira semana da atual temporada do talk show.

Seguindo os passos de uma das maiores apresentadoras do Brasil, Tatá tem dado pelo menos um selinho em cada um de seus convidados, assim como Hebe Camargo fez durante toda a sua carreira na televisão. Caetano não ficou de fora.

O cantor, no entanto, não se contentou apenas com uma ‘bitoquinha’ e decidiu beijar a apresentadora de verdade, fazendo com que a plateia presente no estúdio fosse à loucura. Tatá, é claro, adorou o momento, acima de tudo porque os vídeos dos selinhos dados por ela na atração sempre atraem muita atenção na internet, causando propaganda espontânea.

Flexões no palco e temas polêmicos

No auge de seus 76 anos, Caetano Veloso chegou a fazer flexões no palco e justificou que se exercita em seu dia a dia na intenção de manter a massa muscular.

O cantor também disse que teve ao seu alcance todas as drogas possíveis nos anos 60 e 70, mas que nunca tomou ácido. “Bebi muita cerveja e cachaça, depois deixei a cachaça e fiquei só na cerveja. Mas nunca me liguei às outras drogas. Eu nunca tomei ácido, tomei Ayahuasca (o Santo Daime). Uma vez, no apartamento, Gil trouxe, animadão, e eu tomei. Realmente vi muitas coisas”, revelou ele. “Vi corpos de pessoas indianas, homens e mulheres, todos nus, que dançavam formando mandalas, e essas mandalas iam desenhando um rosto, que era o rosto do centro de tudo, um deus, fiquei horas sofrendo por estar maluco e muito consciente de que estava maluco”.

Caetano, muito modesto, disse que não se leva a sério nos resultados alcançados como músico. “Sou muito insatisfeito, não tenho muito talento pra música”, disse ele. A ditadura também foi um tema abordado na entrevista, que foi gravada antes das eleições presidenciais.

Com informações da colunista Cristina Padiglione.

Top