Comentarista da Fox cria polêmica ao minimizar gritos homofóbicos em jogo do Vasco - Portal Overtube Comentarista da Fox cria polêmica ao minimizar gritos homofóbicos em jogo do Vasco - Portal Overtube

Comentarista da Fox cria polêmica ao minimizar gritos homofóbicos em jogo do Vasco

O comentarista Felipe Facincanni, da Fox (Reprodução)

O comentarista Felipe Facincanni, da Fox (Reprodução)

No último domingo (25), o Vasco recebeu o São Paulo diretamente do estádio São Januário, no Rio de Janeiro. O time carioca venceu a partida por um placar de 2 a 0. Apesar da vitória, o que mais chamou a atenção durante a partida foi um triste fato.

Assim que o primeiro gol do Vasco aconteceu, a torcida do time começou a fazer gritos homofóbicos nas arquibancadas na tentativa de atacar o rival. Os gritos foram tantos que o árbitro Anderson Daronco chegou a interromper o jogo para pedir que os torcedores parassem.

O programa Expediente Futebol, exibido pelo canal pago Fox Sports, comenta os lances do futebol e recebeu, como de costume, o comentarista Felipe Facincanni. Ele polemizou ao minimizar o fato e disse que existe uma linha tênue entre brincadeira e preconceito.

“A gente tem que entender qual é a linha tênue entre uma brincadeira e uma tiração de sarro – que até pessoas que são homossexuais brincam uns com os outros com palavras que costumeiramente a gente tende a achar, agora, que são ofensivas – e quanto que isso é realmente uma discriminação social, racial, que aí, para mim, qualquer tipo de brincadeira já ultrapassa o limite”, disse ele.

‘Time de palhaço’

Ele tentou explicar o que, na visão dele, o que é a discriminação. “A palavra ‘fobia’, o racismo, é quando você, em uma questão cultural impede ou bloqueia qualquer tipo de direito igual, humanitário, a um ser humano por uma opção. Seja abrir uma conta no banco, um emprego, uma questão social, de casamento, enfim. Acho que isso extrapola qualquer tipo de direito”, continuou.

Felipe Facincanni afirma que casos de homofobia são brincadeiras usadas na tentativa de “tentar desestabilizar os adversários” e seguiu: “Para mim, passa batido. Eu tenho essa visão. Eu não sou homofóbico, não sou racista, muito pelo contrário. Se a gente então transformar o ‘time de v…’ em ‘time de palhaço’, o palhaço vai se sentir ofendido”.

“Então, eu parto por esse lado, que é mais uma tiração de sarro do que uma discriminação de fato, uma coisa odiosa. Respeito a opinião de todo mundo, espero que tentem compreender a forma que eu enxergo. Só isso”, concluiu o comentarista.

A próxima Fox publicou o vídeo em questão em uma rede social e muita gente criticou a postura de Felipe. “Fica MUITO difícil lutar contra o preconceito nos estádios quando os grandes idiotas da mídia que deviam dar voz e apoiar mudanças assim, fazem justamente o contrário. Chamar o amiguinho de viado pra ‘tirar sarro’. NÃO É LEGAL E NÃO PODE MAIS. Lidem com isso, seus bostas”, disse uma usuária.

Veja o vídeo abaixo:

Top