Datena anuncia candidatura ao Senado e revela se vai deixar a Band

O apresentador José Luiz Datena (Imagem: Reprodução/Band)

O apresentador José Luiz Datena (Imagem: Reprodução/Band)

Antes cotado para ser candidato à presidência da República pelo PSL, o apresentador José Luiz Datena mudou de ideia e está de mudança para o PSD, em que vai disputar o Senado por São Paulo nas Eleições de 2022.

Em entrevista concedida à revista Veja, Datena explicou que achou o projeto do novo partido mais “sério” e “confiável” que sua primeira opção. Ele desejou sorte para a União Brasil, sigla que vai nascer da fusão do PSL com o DEM.

“Parti a um partido que me oferece uma coisa séria e, além de séria, confiável, simplesmente isso. Espero que o União Brasil tenha sorte, mas não me interessa nem tempo de televisão nem o dinheiro que eles têm. Prefiro um partido em que as pessoas estejam empenhadas em pensar no povo e não mais em si”, afirmou.

Em outro ponto, o comunicador elogiou Ciro Gomes, que deve ser candidato à presidência pelo PSD. “Não impede eu estar no PSD e continuar achando o Ciro um grande cara, e até talvez ajudá-lo se for preciso politicamente. Minha admiração pessoal pelo Ciro é grande, se houver necessidade de uma ajuda minha, ele terá”, concluiu.

Veja também:

Atacada nas redes, repórter da Globo pede demissão após 21 anos

Silvio Santos desiste de retornar ao SBT e volta a cancelar gravações

E a televisão?

Até então, a permanência de José Luiz Datena na televisão depois das Eleições 2022 não está totalmente clara. Em um momento recente do programa Brasil Urgente, que ele comanda na Band, o apresentador falou a respeito.

Naquele momento, quando ainda existia uma possibilidade de ser candidato ao Planalto, ele explicou que, de fato, poderia deixar a televisão. “Eu pensei que ia sair fake news, mas não é não, na verdade, se eu tiver que concorrer a um cargo político”, disse.

Na sequência, Datena afirmou que Henrique Mandetta Rodrigo Pacheco também apareciam como possíveis candidatos pelo PSL. “Então meu partido tem que escolher qual vai ser candidato a presidente”, disse, na ocasião.

“Se eu for candidato a presidente eu não posso continuar na Band, nem como governador. Para o senado, parece que há a condição de você continuar nas duas coisas, mas eu tenho que, legalmente, deixar a televisão três meses antes de ser candidato a qualquer coisa”, finalizou.

Top