Ex-diretora da Globo faz revelações de bastidores: "Ganhava muito mal. Sofri muito" - Portal Overtube Ex-diretora da Globo faz revelações de bastidores: "Ganhava muito mal. Sofri muito" - Portal Overtube

Ex-diretora da Globo faz revelações de bastidores: “Ganhava muito mal. Sofri muito”

A logo da Globo (Imagem: Reprodução)

A logo da Globo (Imagem: Reprodução)

A diretora Cininha de Paula trabalhou na Globo por muitos anos. Ela não teve seu contrato renovado no ano passado e deixou a emissora, que queria reduzir seu salário. Agora, concedeu uma entrevista ao programa Sem Frescura, que é distribuído no canal da Rede Rio TV no YouTube, e fez revelações.

Sobre o início da carreira, ela explicou que passava perrengues. “Eu ganhava muito mal”, explicou, antes de dizer que contou com ajuda para criar os dois filhos. “Fui na Assistência ao Educando, consegui bolsa de estudos para meus filhos quando me separei. Na Prefeitura do Estado do Rio de Janeiro, cheguei lá, bati na porta e pedi: ‘Não tenho dinheiro para pagar o colégio dos meus filhos'”, diz.

Cininha explica que devolveu a bolsa quando passou a ter condições. Embora seja agradecida, ela conta que passou situações difíceis. “Sofri muito na TV Globo. Muito. Mas aprendi muito e agradeço muito à TV Globo, porque ela me permitiu criar meus filhos”, explicou.

Preconceito por ser sobrinha de famoso

Além disso, ser sobrinha de Chico Anysio a fez sofrer preconceito. “Eles diziam que eu era incompetente, que eu só estava ali porque era sobrinha dele. Eu dizia: ‘Francisco’. Chamava ele de Francisco para não misturar o parentesco. Eu ia para o camarim dele e falava tudo com ele”, revela.

A profissional de televisão ainda diz que foi péssimo trabalhar no remake da Escolinha do Professor Raimundo. “Horrível. De cara, foi muito ruim. Em todos os sentidos. Eu tenho que dizer a verdade. Muito doloroso. Eu entendo agora porque para o Bruno”, diz, se referindo a Bruna Mazzeo, filho de Chico.

“Dirigi chorando muito esses sete primeiros episódios. Chorando de emoção, de saudade, tudo. Foi muito doloroso. Quando ele [Mazzeo] entrou em cena, eu chamei ele de Francisco. Foi horrível. Posso nem lembrar que eu choro”, relembrou.

Top