Fátima Bernardes diz que sente vergonha de Bolsonaro: "Muito triste" - Portal Overtube Fátima Bernardes diz que sente vergonha de Bolsonaro: "Muito triste" - Portal Overtube

Fátima Bernardes diz que sente vergonha de Bolsonaro: “Muito triste”

Fátima Bernardes durante o Encontro (Reprodução)

Fátima Bernardes durante o Encontro (Reprodução)

O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da 76ª Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), nos Estados Unidos, continua rendendo. A apresentadora Fátima Bernardes também criticou a postura do governante.

Durante o programa Encontro, exibido na manhã desta terça-feira (21), ela conversou ao vivo com Michelle Loreto, que comanda o quadro Bem Estar no Encontro. Michelle disse que a vacina é a única solução para a Covid-19.

Concordando com o que foi dito, Fátima disse sentir vergonha do que ouviu. “Vacina e consciência, né? Não negacionismo! Olha, é muito difícil a gente ouvir isso, dá uma vergonha sabe…”, criticou.

Veja também:

Miriam Leitão detona Bolsonaro ao vivo na Globo: “Vergonha”

Globo tem dificuldade em escalar substituto para Tadeu Schmidt no Fantástico

Desabafo

Na sequência, Fátima Bernardes deu mais detalhes de sua opinião a respeito. “Você ouvir diante de tantos líderes mundiais, que estão lutando, líderes que muitas vezes não tem acesso a vacina por serem países muito pobres, você ouvir que um presidente diz que é contra uma prefeitura exigir uma comprovação de vacinação para garantir a segurança de todos…”, disse ela.

Em outro ponto, a apresentadora diz que é muito triste que, mesmo diante de pesquisas nacionais e internacionais que desmentem a ideia do tratamento precoce, ele ainda seja defendido pelo presidente.

“A denúncia recente do Fantástico de mostrar que tem gente que morreu com tentativas de tratamento precoce, é muito triste, eu fico assim… Eu fico triste e lamento muito que a gente ainda esteja falando disso, quando a gente deveria estar falando de vacina que tem lugar que ainda não chegou no Brasil, sobre a questão de controlar a vacinação, saber de pessoas que estão tomando, convocação para a segunda dose que não é feita. É muita coisa para fazer e não isso, infelizmente… Mas vamos em frente”, disparou.

Top