Globo ameaça demitir funcionários sem vacinação completa, diz coluna

A logomarca da Globo (Imagem: Reprodução)

A logomarca da Globo (Imagem: Reprodução)

Globo foi uma das emissoras de televisão brasileiras que mais se empenharam na campanha a favor da vacina contra a Covid-19. Apesar de todo esse empenho, alguns funcionários da emissora continuam insistindo em não se vacinar.

Por conta disso, a empresa tomou a decisão de ameaçar, mais uma vez, demitir os colaboradores que não se imunizarem. De acordo com informações do colunista Gabriel Perline, do portal IG, quem não comprovar que tomou as três doses será barrado das portarias do canal.

Segundo a publicação, essa medida valerá a partir do próximo dia 31 de maio. Se esses colaboradores não apresentarem os comprovantes de vacinação depois disso, o destino será a rua, independente do setor.

Leia outras notícias de hoje Portal Overtube:

Fátima Bernardes conta a verdade e revela por que vai sair do Encontro

Globo decide fazer remake de outro sucesso da Manchete após Pantanal; descubra

Globo ameaça demitir funcionários

Perline revela que teve acesso ao aviso enviado pela Globo aos funcionários e diz que o prazo limite para a entrega dos comprovantes é 30 de maio. A partir do dia seguinte, quem não comprovar a vacinação passa a ser barrado.

“Os funcionários que não cadastrarem o comprovante da vacinação completa, incluindo a dose de reforço, até o dia 30 de maio, serão bloqueados na catraca dos prédios”, diz a circular.

Todos os funcionários precisam estar imunizados, inclusive os que fazem parte do setor artístico da emissora. Atores que forem convidados ou passarem em testes para séries e novelas e não se vacinarem completamente perderão seus papeis e serão substituídos por outros profissionais.

Essa não é a primeira vez que a Globo deixa claro que vai demitir funcionários não vacinados. No ano passado, quando a campanha de vacinação começou, essa política já foi adotada pela emissora carioca, que exigiu que os contratados se imunizassem para permanecerem em seus cargos.

Top