Jornalista cadeirante da Globo interrompe reportagem por falta de acessibilidade - Portal Overtube Jornalista cadeirante da Globo interrompe reportagem por falta de acessibilidade - Portal Overtube

Jornalista cadeirante da Globo interrompe reportagem por falta de acessibilidade

Flávia Cintra durante o Bom Dia São Paulo (Reprodução/GloboPlay)

Flávia Cintra durante o Bom Dia São Paulo (Reprodução/GloboPlay)

Globo exibiu uma importante reportagem na manhã desta terça-feira (16) no Bom Dia São Paulo, matinal local da capital paulista. Ao menos parte da matéria, já que ela acabou precisando ser interrompida no meio.

A jornalista Flávia Cintra se desculpou por não conseguir finalizar o trabalho, que falava sobre acessibilidade. A repórter, que é cadeirante, demorou bastante para conseguir embarcar em um ônibus. Depois, não conseguiu atravessar uma calçada que tinha buracos e era estreita.

A profissional estava mostrando como era seu dia a dia como moradora da capital de São Paulo andando na cadeira de rodas. Em certo momento ela deu sinal para que o ônibus parasse, o que quase não aconteceu.

Quando ele finalmente parou, Flávia Cintra questionou se podia entrar. O responsável pelo transporte afirmou que ele estava bastante cheio e disse que o melhor era que ela aguardasse o próximo, que chegaria em breve.

“Você está nesse ponto desde o começo do jornal, desde as 6h, deu prioridade para outra cadeirante, mas em mais de uma hora você não conseguiu embarcar. Isso é um absurdo!”, disse, indignada, Glória Vanique, âncora do Bom Dia São Paulo.

Frustração e matéria interrompida

Cintra mostrou toda a sua frustração com o que aconteceu. “É, está difícil. Alguns ônibus não têm acessibilidade, ou não param. Nesse último que mostramos ao vivo, o motorista educadamente sugeriu para aguardar por outro”.

Mais tarde, um ônibus mais vazio chegou, mas a jornalista da Globo teve muita dificuldade para embarcar por conta da altura do veículo. Três pessoas a ajudaram, mas outros passageiros se mostraram descontentes por aguardar o embarque.

Um internauta do jornal perguntou quanto tempo a repórter levaria para subir em um ônibus sem que uma câmera de TV estivesse filmando o ocorrido. Visivelmente emocionada, Flávia afirmou que muitos motoristas afirmam que o elevador do ônibus está com defeito.

“Essa má-vontade, e faz a pessoa sentir como se ela tivesse incomodando, sendo que ela está apenas exercendo um direito. Não é nada fácil”, disse ela, em tom de desabafo, antes de descer em uma avenida movimentada da cidade.

E foi ali que ela afirmou que não conseguiria finalizar a matéria pois era impossível completar o trajeto por conta da rua íngreme e cheia de buracos e se desculpou. “Estou muito chateada porque o jornal está acabando e eu não vou conseguir cumprir a minha promessa de mostrar a Zona Cerealista (que era seu destino final). Vocês me desculpam?”, perguntou, sem graça.

Glória Vanique se mostrou incomodada com o problema enfrentado pela colega. “Você está mais que desculpada, Flávia! O que a gente não desculpa é a condição dessa cidade, que é super inacessível para as pessoas cadeirantes”, concluiu.

Veja o trecho do Bom Dia São Paulo clicando neste link.

Top