Pedro Bial detona Bolsonaro na Globo e o chama de "acéfalo" e "desgovernante" - Portal Overtube Pedro Bial detona Bolsonaro na Globo e o chama de "acéfalo" e "desgovernante" - Portal Overtube

Pedro Bial detona Bolsonaro na Globo e o chama de “acéfalo” e “desgovernante”

Pedro Bial no Conversa com Bial, da Globo (Reprodução/GloboPlay)

Pedro Bial no Conversa com Bial, da Globo (Reprodução/GloboPlay)

O jornalista Pedro Bial é um dos assuntos mais comentados das redes sociais nesta quinta-feira, dia 17 de dezembro. Tudo por conta de seu discurso contra o presidente Jair Bolsonaro exibido no Conversa com Bial da última madrugada.

No programa, que foi ao ar no início da madrugada de hoje, Bial decidiu citar a pandemia do novo coronavírus e fez duras críticas à forma como o presidente da República tratou do assunto, chegando a chamar o político de “acéfalo”.

“Na pandemia desse 2020 nefasto, o Brasil se destacou. Difícil encontrar desgoverno que se compare no mundo. Desde o início, nosso desgovernante tentou negar a gravidade da crise”, iniciou o ex-apresentador do BBB.

Na sequência, falou sobre as “invenções” de Bolsonaro. “Sseguiu inventando remédios falsamente milagrosos, deu os piores exemplos, sem máscara e sem noção, causou aglomeração e sabotou ministros da Saúde e da Educação”, continuou.

Veja também:

Homem invade RJ1 ao vivo e grita: “Rede Globo lixo”

Record faz última tentativa para manter Xuxa no elenco

Bial detonou Bolsonaro

“O inominado contribuiu de forma decisiva para que mais gente morresse. Agora se supera, delirante, ao desprezar a única solução: a vacina. Mas, acredite, isso ainda não é o pior”, afirmou Pedro Bial na abertura do programa.

O apresentador, então, citou uma das falas polêmicas do presidente da República. “Como disse o próprio acéfalo que hoje ocupa o Palácio do Planalto, ‘morrer, todo mundo vai morrer mesmo’. Pior é pra quem tem a vida pela frente”, desabafou.

“A geração das crianças do corona ficará marcada para sempre. Aqui no Brasil, em nome da economia, forçou-se a abertura de tudo, de salões a lotéricas. Viva os shoppings, comprar é vida!”, disse, com ironia.

E Bial finaliza: “O imperativo de abrir as escolas, último da fila. Sequer mencionado. Então, agora, quem sabe que consequência um ano sem aulas terá na saúde física e mental de crianças e adolescentes? Pior, alguém quer saber?”.

Veja o vídeo:

Top