Repórter da CNN Brasil passa mal e desmaia após reportagem - Portal Overtube Repórter da CNN Brasil passa mal e desmaia após reportagem - Portal Overtube

Repórter da CNN Brasil passa mal e desmaia após reportagem

O logo da CNN Brasil (Reprodução)

O logo da CNN Brasil (Reprodução)

A repórter Luciene Kaxinawá deu um susto na equipe da CNN Brasil durante um link ao vivo diretamente de Manaus, na capital do Amazonas. A jornalista se sentiu mal enquanto passava informações para Daniela Lima e Reinaldo Gottino no jornal 360º.

Kaxinawá conversava com Daniela e começou a gaguejar, parou para respirar por um instante e trocou o nome da âncora do canal de notícias, a chamando de “Luciana”. Naquele momento, a profissional informava ao público sobre a reabertura gradual do comércio na região.

Ela começou a dar sinais de que não estava se sentindo bem e, embora os âncoras tenham notado, não chegaram a comentar a situação. Assim que saiu do ar, a repórter acabou desmaiando, sendo socorrida pela equipe que a acompanhava no local.

O colunista Flávio Ricco, do portal UOL, procurou pela CNN Brasil, que confirmou a situação e, a princípio, não deu outros detalhes a respeito. Mais tarde, a emissora garantiu que sua funcionária passa bem.

Repórter interrompeu link ao vivo após ataque

A repórter Julliana Lopes, da CNN Brasil (Reprodução)

Uma outra repórter da CNN Brasil também passou por uma situação complicada no início da semana. A jornalista Julliana Lopes conversava ao vivo com Larissa Alvarenga quando precisou interromper a transmissão após receber ataques. Leia a matéria completa aqui.

Jornalista da Globo também foi interrompido

O repórter Vladimir VIlaça, da Globo (Reprodução)
O repórter Vladimir VIlaça, da Globo (Reprodução)

A situação para os repórteres da Globo é ainda mais complicada e ataques acontecem diariamente em várias praças. No início da semana o jornalista Vladimir Vilaça, que trabalha na afiliada da emissora em Belo Horizonte, precisou interromper um link ao vivo com a GloboNews por ataques repletos de gritos de “Globo lixo”. Leia a matéria completa clicando aqui.

Top