Telespectadora processa a Globo e acusa emissora de "causar pânico" durante a pandemia - Portal Overtube Telespectadora processa a Globo e acusa emissora de "causar pânico" durante a pandemia - Portal Overtube

Telespectadora processa a Globo e acusa emissora de “causar pânico” durante a pandemia

William Bonner e Renata Vasconcellos no Jornal Nacional (Reprodução/GloboPlay)

William Bonner e Renata Vasconcellos no Jornal Nacional (Reprodução/GloboPlay)

O assunto mais comentado nos jornais exibidos na programação da Globo desde o mês de março, quando a pandemia do novo coronavírus foi anunciada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), é a crise que mudou totalmente a vida de bilhões de pessoas ao redor do mundo.

Embora receba muitas críticas na internet (acima de tudo de apoiadores do governo do presidente Jair Bolsonaro), o jornalismo da emissora carioca parece ainda agradar, já que segue na liderança absoluta em audiência e ainda ganhou mais números durante os primeiros meses da pandemia.

Uma telespectadora, entretanto, decidiu ir mais longe com suas críticas à forma como a Globo trabalha com seus noticiários e entrou com uma liminar contra o canal, afirmando que os telejornais estão “causando pânico” na população brasileira.

A informação foi divulgada na manhã desta segunda-feira (27) pelo site Notícias da TV, que revela que uma mulher do interior do Rio de Janeiro entrou com uma ação judicial no último mês de junho com o intuito de solicitar que a emissora mudasse a forma de divulgar os números sobre a Covid-19.

De acordo com a publicação, ela alegou que o fato de a Globo mostrar o número de casos acumulados e de mortos seria uma forma de não dar a exata dimensão da doença e passaria a impressão de que ela está mais intensa a cada dia, gerando pânico nos telespectadores.

Ação extinta

O Notícias da TV revela que a responsável pela ação alegava estar sendo prejudicada pessoalmente pelo canal, que dá informações preocupantes sobre o tema. A  juíza Paula de Menezes Caldas, da 49ª Vara Cível do estado, avaliou o caso.

Ela considera que a Globo não pode ser responsabilizada pela interrupção das atividades econômicas, além de discordar que a mulher tenha legitimidade para defender sozinha os interesses da sociedade como um todo ou dos profissionais de saúde.

“Ora, a forma de divulgação dos dados pela ré não possui qualquer interferência na liberação ou não das atividades econômicas interrompidas em razão da pandemia, uma vez que o afrouxamento das medidas de isolamento social constitui opção técnica/política do Poder Público”, diz a juíza, que extinguiu a ação, sem necessidade sequer de que a Globo se defendesse.

O Notícias da TV procurou a responsável pela ação e, através de seu advogado, ela afirmou que discorda da forma como a ação foi tratada pela Justiça, mas garante que não pretende recorrer dessa decisão.

Top