William Bonner rebate fake news de Bolsonaro no Jornal Nacional - Portal Overtube William Bonner rebate fake news de Bolsonaro no Jornal Nacional - Portal Overtube

William Bonner rebate fake news de Bolsonaro no Jornal Nacional

William Bonner, âncora do Jornal Nacional (Reprodução/GloboPlay)

William Bonner, âncora do Jornal Nacional (Reprodução/GloboPlay)

Jornal Nacional voltou a desmentir uma informação equivocada divulgada pelo presidente Jair Bolsonaro. Coube ao apresentador William Bonner esclarecer o caso na edição exibida nesta quarta-feira (28).

A atração da Globo mostrou uma declaração inverídica feita por Bolsonaro a respeito do enfrentamento da Covid-19 no país. Pela primeira vez, o STF (Superior Tribunal Federal) usou as redes sociais para rebater o presidente.

“O Supremo Tribunal Federal reagiu hoje, de maneira inédita, a uma declaração inverídica do presidente Jair Bolsonaro costuma repetir ao falar sobre a pandemia. Numa entrevista à Rádio Mundial da Bahia, Bolsonaro voltou a dizer que o Supremo deu muito mais poderes para governadores e prefeitos do que pra ele”, disse.

Bonner, então, explicou que o STF rebateu Bolsonaro em um vídeo nas redes sociais. “(…) e modificou uma frase do ministro da propaganda do regime nazista de Adolf Hitler, Joseph Goebbels. Joseph Goebbels afirmou que uma mentira contada mil vezes se torna verdade”, encerrou o âncora.

Veja também:

Regina Duarte detona colegas que a criticaram: “Perversos”

Jogador de vôlei das Olimpíadas solta palavrão pesado ao vivo na Globo

Outra informação desmentida

No final de maio, William Bonner rebateu outra informação falsa compartilhada por Bolsonaro. Na ocasião, milhares de pessoas foram às ruas de todo o país para manifestar contra o governo do presidente.

Apesar da manifestação popular, o governante disseminou uma fake news em que afirma que foram poucos os adeptos aos protestos, o que não corresponde à realidade. O JN exibiu o áudio na íntegra.

Foi aí que Bonner desmentiu a informação. “Na verdade, as manifestações não foram pequenas. Reuniram milhares de pessoas em todos os 26 estados e no Distrito Federal”, disse ele, que ainda deu mais detalhes.

“Em Brasília, em frente ao Congresso Nacional. No Rio, foi no Centro. Quase todas as pistas da Avenida Presidente Vargas ficaram fechadas. Em São Paulo, manifestantes ocuparam dez quarteirões da Avenida Paulista. Na imensa maioria, usando máscaras, as pessoas pediram o impeachment do presidente Bolsonaro e mais vacinas”, finalizou.

Top