Éramos Seis: Carlos morre após ser baleado em manifestação Éramos Seis: Carlos morre após ser baleado em manifestação

Éramos Seis: Carlos morre após ser baleado em manifestação

Carlos (Danilo Mesquita) em Éramos Seis (Reprodução / TV Globo)

Carlos (Danilo Mesquita) em Éramos Seis (Reprodução / TV Globo)

Nos próximos capítulos de Éramos Seis, Carlos (Danilo Mesquita) levará um tiro durante uma manifestação e morrerá acolhido por Alfredo (Nicolas Prattes). Tudo começará quando Carlos estiver planejando uma viagem para Santos com Inês (Carol Macedo). Ela proporá que os dois fujam para que passem alguns momentos a sós na praia.

“Fugir dos outros, só eu e você. Deixo um bilhete pro meu pai. Você é tão responsável, ele vai confiar que estamos seguros. Às vezes precisamos forçar a porta pra trilhar o caminho que queremos. Ou não tem coragem?”, dirá a filha de Afonso (Cássio Gabus Mendes). No dia seguinte, ao acordar, ele surpreenderá Clotilde (Simone Spoladore) com um forte abraço.

Carlos falará: “Me deu vontade de dar um abraço na tia que gosto muito. E que anda cada vez mais ensimesmada. Mas não é engraçado? A gente passa a vida toda sem dizer que gosta das pessoas, sem fazer gestos bonitos que agradam. A Inês me diz isso. Tenho que ser mais leve, surpreender mais”. Ao sair para trabalhar ele será acompanhado por Lola (Glória Pires)  até a porta, e ela dirá: “Ah, meu filho, todos os dias eu agradeço ter você para me ajudar… Se um dia me faltar, eu não sei o que vai ser de mim…”. 

Mais tarde ele encontrará Marcelo (Guilherme Ferraz), que revelará que Isabel (Giullia Buscácio) está envolvida com Felício (Paulo Rocha). Carlos então decidirá encontrar com o namorado da irmã para saber das intenções dele, mas no caminho ele se deparará com uma manifestação. De acordo com o roteiro, o momento retrata a manifestação de 23 de maio de 1932, onde várias pessoas se reuniram contra o presidente Getúlio Vargas.

Assim em Éramos Seis

Carlos andará no sentido oposto da manifestação, tentando não se misturar com a população insatisfeita. De repente se ouvirá barulhos de tiros e os cidadãos começarão a fugir. Carlos parará para ajudar um homem caído no chão, neste momento ele levará um tiro e acabará pisoteado pelos manifestantes que estão fugindo desesperados.

Carlos será levado para o hospital em estado grave. Ao receber a visita de Alfredo, ele abrirá se coração. Carlos dirá: “Sei que as pessoas falavam para você ser como eu, mas quero dizer agora uma coisa que nunca disse antes. Eu queria ser muito como você, ter a coragem de lutar, de seguir minha vontade”. O personagem de Danilo Mesquita então segurará a mão do irmão.

Antes de morrer, ele fará o último pedido para Alfredo: “Eu quero falar. Preciso pedir um favor… Tem que me prometer que não vai deixar a mamãe sozinha. Ela não merece… Alfredo, você agora é o responsável pela casa. Não deixa ela sozinha. Promete para mim, Alfredo. Promete”.

A cena está prevista para ir ao ar no início de fevereiro. Saiba o que mais vai acontecer em Éramos Seis e outras novelas como resumo da semana.

Top