Saiba quando estreia a reprise de Flor do Caribe na Globo - Portal Overtube Saiba quando estreia a reprise de Flor do Caribe na Globo - Portal Overtube

Saiba quando estreia a reprise de Flor do Caribe na Globo

Flor do Caribe foi ao ar em 2013 (Imagem: Divulgação)

Flor do Caribe foi ao ar em 2013 (Imagem: Divulgação)

Na impossibilidade de retomar as exibições de suas novelas inéditas, a Globo lança mão de mais uma reprise para o horário das seis ainda no mês de agosto. Novo Mundo chega ao fim e dará lugar a uma trama mais leve: Flor do Caribe.

Quem está acompanhando a reprise que está no ar atualmente e também assistiu à exibição original já se deu conta que a emissora carioca está cortando o folhetim, tudo para deixar a história mais movimentada e encerrá-la mais rápido.

Considerada um sucesso em sua primeira transmissão, Novo Mundo não é um fenômeno em sua reprise, ainda que os capítulos se aproximem dos 20 pontos de média todos os dias. O motivo mais apontado é o fato de que a trama é muito recente e foi ao ar há apenas três anos.

Com Flor do Caribe, a aposta da Globo é que seja possível recuperar os telespectadores perdidos com uma produção muito mais leve e atual, que se passa em um local paradisíaco. Além disso, o carisma da protagonista Grazi Massafera também conta pontos.

Escrita por Walther Negrão, a novela das seis também conta com Henri Castelli e Igor Rickli, que formam, com Grazi, o triângulo amoroso principal. A estreia está marcada para a última segunda-feira do mês, no dia 31 de agosto.

Saiba tudo sobre a história

Na fictícia Vila dos Ventos, entre dunas, salinas e belas praias, a guia de turismo e bugueira Ester (Grazi Massafera) vive uma forte paixão por Cassiano (Henri Castelli), piloto do esquadrão de caças da Aeronáutica. O amor que nasceu na adolescência perdura, e o casamento passa a fazer parte dos planos do casal. Tudo muda, no entanto, com o retorno de Alberto (Igor Rickli) ao vilarejo, depois de três anos afastado. O herdeiro da rica família Albuquerque reencontra os amigos e, aparentemente, fica feliz ao vê-los juntos. Só que uma mágoa do passado implode essa amizade. Alberto, rejeitado por Ester há alguns anos, decide conquistá-la a qualquer custo, nem que para isso tenha de passar por cima de seu melhor amigo. Por considerar Alberto um irmão, Cassiano não percebe suas más intenções.

A oportunidade de Alberto (Igor Rickli) se livrar do amigo Cassiano (Henri Castelli) surge com uma proposta de seu avô, Dionísio (Sérgio Mamberti). Doente e cansado, o empresário acredita que seja a hora de seu neto assumir a presidência do Grupo Albuquerque, um conglomerado de salinas, minas de diamante e tungstênio. O passado dos negócios é sombrio. Dionísio abriu a empresa em 1940. Durante a Segunda Guerra Mundial, o empresário colaborou com o Eixo – reunião de países que propagavam ideologias autoritárias, como o nazismo e o fascismo – fornecendo, ilegalmente, tungstênio para a fabricação de munição. O patriarca dos Albuquerques também denunciou o esconderijo de várias famílias para a polícia secreta, mas não sem antes roubar suas joias e objetos de valor. Alberto sequer desconfia de tudo isso.

De início, o rapaz não acredita ser uma boa ideia assumir o conglomerado. Ele gosta da vida sem responsabilidades que leva, mas logo percebe que pode usar o cargo para se livrar de Cassiano e se aproximar de Ester (Grazi Massafera). Alberto, então, abandona a vida de playboy no Rio de Janeiro e se entrega à nova função.

Fortes emoções

Nos primeiros dias de trabalho, faz papel de bom patrão. Entrega seu carro aos salineiros, funcionários do Grupo Albuquerque, para que o vendam e fiquem com o dinheiro como uma forma de amortizar a dívida que a empresa tem com eles. E vai além. Compromete-se a pagar todos os atrasados. Os salineiros, liderados por Seu Chico (Cacá Amaral), pai de Cassiano, não acreditam na promessa do novo dono do Grupo Albuquerque. Mas Alberto não desiste de provar seus bons propósitos. Sabendo que Seu Chico e os salineiros estão, além de insatisfeitos, ficando cegos, devido aos anos de trabalho nas salinas, convence Cassiano a participar de uma transação milionária que garantiria o pagamento de todos os atrasados dos funcionários e ainda os ajudaria no tratamento de saúde.

Seu Chico nunca aceitou a amizade entre Alberto e seu filho. Acha que o empresário não é confiável. Cassiano, no entanto, concorda em entregar um carregamento de diamantes a Dom Rafael (Cesar Troncoso), no Caribe. Aparentemente, uma operação legal. Cassiano iria em um dia e voltaria no outro. O piloto só não imaginava que estava caindo numa armadilha. Dom Rafael é um mafioso, antigo parceiro de Dionísio na distribuição de diamantes do Grupo Albuquerque pela China, Países Árabes, Europa, Antuérpia e Holanda.

Ester não gosta da ideia de ficar longe do amado. Pressente que algo ruim está para acontecer. Mas nem ela consegue convencer o rapaz a desistir da missão. Cassiano confia em Alberto como em um irmão e não vê maldade na proposta.

Além disso, a relação entre os amigos de infância está mais forte do que nunca. Poucos dias antes, Alberto ofereceu o anel de sua avó, uma belíssima joia, a Cassiano para que ele pedisse Ester em casamento.

Tudo na intenção de construir a imagem de um bom companheiro. Depois de uma atitude como essa, seria impossível imaginar que Alberto seria capaz de orquestrar um golpe contra Cassiano. Nem Ester poderia prever a traição.

Dom Rafael é capaz de matar quem tentar enganá-lo. E é por isso que Alberto, sem o conhecimento do avô, inclui o mafioso no plano de tirar Cassiano de seu caminho. Na remessa de diamantes, Alberto substitui as pedras preciosas por cristais de sal.

Ao chegar ao Caribe, o plano de Alberto se desenrola como previsto. Dom Rafael descobre que as pedras são falsas, e Cassiano é feito prisioneiro. Alberto acredita que Cassiano jamais conseguirá fugir do domínio do mafioso. Seria, então, uma questão de tempo para que Alberto conseguisse se aproximar de Ester.

Cassiano descobre o golpe e passa a lutar, diariamente, por sua liberdade. Um de seus companheiros de carceragem, o falsário Duque (Jean Pierre Noher), há três anos no cativeiro, tenta ajudá-lo nessa empreitada. É com o apoio dele que Cassiano se mantém vivo. Se dependesse de Dom Rafael, o militar já estaria morto. Duque convence o mafioso de que o rapaz pode lhe ser útil como piloto. (via Memória Globo)

Top