Marcelo Adnet é ofendido no Rio de Janeiro: "Vaza, vagabundo!" - Portal Overtube Marcelo Adnet é ofendido no Rio de Janeiro: "Vaza, vagabundo!" - Portal Overtube
Você está lendo
Página inicial > Entretenimento > Marcelo Adnet é ofendido no Rio de Janeiro: “Vaza, vagabundo!”

Marcelo Adnet é ofendido no Rio de Janeiro: “Vaza, vagabundo!”

Marcelo Adnet em entrevista ao apresentador Pedro Bial, em outubro (Reprodução/TV Globo)

Marcelo Adnet em entrevista ao apresentador Pedro Bial, em outubro (Reprodução/TV Globo)

O ator e comediante Marcelo Adnet relatou ter sido vítima de uma série de ofensas enquanto fazia compras em um supermercado da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

“Parei em um mercadinho na Barra pra fazer umas compras. Quando estava carregando o carro com sacolas vejo um senhor fazer gesto de armas com as mãos e gritar ‘vaza’, ‘vai embora’, ‘tá olhando o quê?’ Até eu entrar no carro alguém se juntou gritando ‘vaza vagabundo, vagabundo!'”, contou Adnet em sua conta no Twitter nesta sexta-feira (2).

Um de seus seguidores sugeriu que o ator deveria ter feito uma ocorrência denunciando o caso, mas ele disse que foi tudo muito rápido. “Como eu estava sozinho e sendo provocado por 2 ou 3 pessoas, preferi manter a cabeça erguida e abraçar a criança, porque é a resposta que posso dar. Voltar com a polícia e dizer: ‘ele fez arminha pra mim e gritou vagabundo vaza daqui’… acho demais”, disse ele.

Durante o período eleitoral, Marcelo se posicionou na oposição ao então candidato Jair Bolsonaro, eleito presidente do Brasil no último domingo (28).

Ameaçado por imitar candidatos

Em entrevista ao jornalista Pedro Bial no início de outubro, o comediante contou que recebeu todo tipo de resposta às suas imitações dos candidatos ao cargo de Presidente da República.

“Tive retorno de todo tipo: tem gente que adorou, odiou, me ameaça de morte, de beijo… Disseram que o ‘Adnet bandido da Globolixo fez um áudio para incriminar o candidato Jair [Bolsonaro]’, e não era eu”, disse ele.

Ele contou ao jornalista que pediu para que o áudio não fosse compartilhado. “Ouvi o áudio e falei ‘não compartilhem, que isso é falso’. A notícia correu, alguém fez um meme, botou minha cara, aí os comentários dessas postagens eram: ‘vou te dar um tiro de 12 na cara’, ‘quando você vier na minha cidade vou te jogar merda’, ‘vou te bater, te pegar’. A gente sabe que a maioria são palavras ao vento, mas aquele 1% vagabundo dá medo”, contou ele, sempre com humor.

Top